Pool Olé / LANCE!
29/11/2016
21:27
Santa Cruz de la Sierra (BOL)

O último registro de quem estava no avião que caiu em Medellín, deixando 76 pessoas mortas, dentre elas boa parte da delegação da Chapecoense, foi divulgado na noite desta terça-feira. De propriedade do empresário Jorge Arias, o canal Gigavisión de Bolivia levou ao aeroporto de Santa Cruz de la Sierra uma equipe para acompanhar o clube. Uma das filhas de Arias trabalhava na companhia Lamia, e provavelmente ajudou a acontecer a permissão para a entrada.

Os testemunhos têm um valor tremendo:

- É um orgulho terem, em meio a tantas empresas na América do Sul, escolhido voar conoso - diz o pito Miguel Angel Quiroga. 

Além disto, Quiroga contou que é a única empresa que coloca os escudos das equipes nos aviões.  Em seguiga, o técnico  aeronáutico Erwin Tumiri, um dos seis sobreviventes até o momento, disse:

- É a segunda vez que os transportamos. 

Ainda fala Sisy Arias, a copiloto filha de Jorge Arias:

- Queremos brindá-los com o melhor serviço. É muito importante que escolham uma companhia boliviana.

O outro entrevistado é um membro da delegação da equipe:

- É um momento importante para a Chapecoense. Eles nos atenderam bem em Barranquilla. Esperamos que nos deem sorte, como da outra vez, e nos ajudem a ter grandes resultados.

O último a falar é Caio Júnior, o treinador da Chapecoense:

- Estamos muito orgulhosos de representar o Brasil e chegar à final. Representamos um clube modesto do Brasil, isso nos fortalece.