Vitória x Chapecoense

Partida começou morna, mas deslanchou no segundo tempo,(Foto: João Alvarez/Fotoarena/Lancepress!)

RADAR / LANCE!
19/06/2016
13:10
Salvador (BA)

A "arma secreta" para a Chapecoense superar o Vitória foi um jogador emprestado recentemente pelo clube baiano. Diante da torcida do Barradão, o meia Arthur Maia entrou em campo e deu assistências cruciais para a equipe catarinense garantir o triunfo por 2 a 1 sobre o Leão, com gols de Sérgio Manoel e William Thiego (Marinho fez o gol da equipe baiana, em "falta de comemoração" polêmica), em jogo na manhã deste domingo, pela nona rodada do Brasileirão.

Com o resultado, a Chape vai a 14 pontos e, provisoriamente ocupa o G4. A equipe comandada por Guto Ferreira recebe o Atlético-PR, na Arena Condá, nesta quarta-feira, às 19h30.. Já o Vitória segue com nove pontos, próximo do Z4, e enfrenta o Grêmio,  nesta quinta-feira, na Arena, às 19h15.

JOGO MORNO E PLACAR EM BRANCO NA ETAPA INICIAL

A falta de inspiração tomou conta da etapa inicial do Barradão. O Vitória até teve um início promissor, quando Diego Renan cobrou falta e obrigou Danilo a se esticar para defender aos sete. Mas, mesmo diante de uma Chapecoense que ameaçou apenas com Silvinho, os baianos só empolgaram na reta final.

Dagoberto arriscou de longe, e assustou Danilo. Em seguida, Kieza surgiu livre, mas Sergio Manoel se desdobrou para impedir a finalização. Já nos acréscimos, Amaral deu uma batida forte da intermediária, só que o goleiro da Chape mostrou sua segurança, garantindo o placar em branco no Barradão.

ARTHUR MAIA ENTRA EM CAMPO E MUDA O JOGO

A equipe de Vagner Mancini voltou do intervalo em ritmo acelerado, apostando em investidas para Dagoberto e Kieza, e encontrou sua primeira chance em contra-ataque. Dagoberto serviu Marinho, que passou pelo zagueiro e bateu forte, obrigando Danilo a fazer defesa à queima-roupa aos sete.

A Chapecoense tentou responder em cobrança de falta de Cleber Santana e tentativa de Lucas Gomes, mas o Leão seguia pressionando. Kieza esticou na área e Dagoberto finalizou rente à trave. Em seguida, Norberto cobrou lateral para a área e, após Marinho desviar em cabeçada, a bola caprichosamente parou no travessão.

Porém, a empolgação ofensiva do Leão abriu brechas na defesa, e o técnico Guto Ferreira encontrou o caminho para a vitória. Dois minutos após entrar no lugar de Cleber Santana, Arthur Maia lançou Sergio Manoel, que bateu da intermediária e estufou a rede aos 26.

O Vitória reagiu em grande estilo no minuto seguinte, com Marinho se desvencilhando de dois marcadores e estufando a rede, empatando a partida com dose de polêmica, ao não comemorar no Barradão. A Chape, no entanto, não diminuiu seu ritmo, e viu Lucas Gomes perder chance diante de Fernando Miguel.

Mais segura nos contra-ataques, a equipe catarinense chegou ao segundo gol na bola parada, e novamente em jogada iniciada por Arthur Maia. O meia, cedido pelo Vitória, cobrou escanteio e William Thiego subiu mais do que a zaga para estufar a rede.

Afoito, o time da casa ainda exigiu Danilo com Marinho e Ramon, mas a Chape seguiu cozinhando o jogo. A equipe de Guto Ferreira ainda se deu ao luxo de perder chance clara com Bruno Rangel, antes de consolidar sua vitória fora de casa e deixar as vaias e as críticas do lado baiano.


FICHA TÉCNICA

VITÓRIA 1x2 CHAPECOENSE

Data:
19-06-16
Estádio: Barradão, em Salvador (BA)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa/RS)
Assistentes: José Eduardo Calza (RS) e Lucio Beieserdorf Flor (RS)

Renda / Público: R$ 96.034,00 / 7.702 pagantes 
Cartões amarelos: Victor Ramos (VIT), Rafael Bastos, Cleber Santana, Danilo (CHA)

Gols: Sérgio Manoel, 26/2T (0-1), Marinho, 27/2T (1-1) e William Thiego, 30/2T (1-2).

VITÓRIA: Fernando Miguel, Norberto (Maicon Silva, 38/2T), Victor Ramos, Ramon e Diego Renan; Amaral, Tiago Real e Flávio (Leandro Domingues, 23/2T); Marinho, Dagoberto (Alípio, 16/2T) e Kieza. Técnico: Vagner Mancini

CHAPECOENSE: Danilo; Gimenez, Marcelo, William Thiego e Sergio Manoel; Josimar, Moisés (Rafael Bastos, 29/1T), Cleber Santana (Arthur Maia, 24/2T) e Silvinho; Lucas Gomes (Ananias, 43/2) e Bruno Rangel. Técnico: Guto Ferreira