RADAR / LANCE!
09/07/2016
07:10
Rio de Janeiro (RJ)

A partida entre Flamengo e Atlético-MG, neste domingo, às 11h,  no Mané Garrincha, não ficará marcado apenas por um novo capítulo com gols e embates nesta rivalidade regional que atravessa décadas. A chance de Guerrero e Fred voltarem a fazer um duelo particular foi descartada pela ausência... de ambos! O peruano está suspenso pelo terceiro cartão amarelo recebido contra o Corinthians, enquanto o camisa 99 do Galo é baixa por sua expulsão diante do Figueirense.

O LANCE! aponta alguns momentos nos quais cada atacante foi crucial e outros nos quais deixou suas respectivas equipes na mão.

FRED NO ATLÉTICO-MG

Em sete jogos, foram quatro gols. Sua expulsão fez, pela primeira vez, se ausentar de uma partida no novo clube.


GUERRERO NO FLAMENGO

Além de chegar à marca negativa de 16 cartões amarelos e um vermelho, o peruano teve uma série de baixas devido a lesões e convocações.

2015

Uma ruptura no ligamento o afastou dos gramados por uma semana. Além disto, foram seis convocações para as Eliminatórias da Copa do Mundo e um mês fora na disputa da Copa América.

2016

As idas para a seleção do Peru voltaram a afastar Guerrero do Flamengo. O peruano perdeu dois jogos pelo Campeonato Carioca e uma semifinal de Primeira Liga devido a amistosos, e ainda teve de atuar no empate com o Vasco no dia seguinte a um jogo com o Uruguai, pelas Eliminatórias. No Brasileirão, foram quatro jogos fora devido às Eliminatórias, e outros oito por conta de estar na Copa América Centenário. Outros episódios ainda renderam polêmica: pediu para não jogar na derrota para o Fortaleza, que custou a eliminação da Copa do Brasil, e pediu um dia a mais de descanso após a Copa América Centenário.

FRED NO FLUMINENSE

2009


Em 2009, lidou com uma lesão muscular na virilha e ficou por um bom tempo no estaleiro. Ao voltar, porém, mostrou seu refinado futebol, ajudando a equipe com seus gols na "arrancada" contra o rebaixamento no Brasileirão. Teve a chance de se consagrar de vez na final da Copa Sul-Americana, mas seu temperamento custou caro. Quando o Fluminense vencia a LDU por 3 a 0 e tentava tirar a vantagem de 5 a 1 dos adversários, o atacante foi expulso de maneira infantil.

2010

Após ficar lesionado por todo o segundo semestre de 2010, porém, voltou em grande estilo no Brasileirão, atuando bem e marcando gol em um dos jogos da reta final do título.

2011

A polêmica ofuscou o ano de Fred. Após ser visto tomando caipisaquês ao lado do também atacante do Fluminense à época, Rafael Moura, rendeu perseguição de organizadas e até fez o centroavante ameaçar sair do clube. Porém, voltou atrás.

2012

Contribuiu para a equipe ser carioca e tetracampeã brasileira, com direito a ser o maior artilheiro do clube na história da competição e fazer gol de título. Mas lidou com suspensões e lesões.


2013

Fred teve uma temporada para lá de turbulenta no Fluminense. Além de frequentes lesões o deixarem por 155 dias parado, a convocação para a Copa das Confederações deixou o Tricolor das Laranjeiras com uma baixa: 37 dias fora.

2014

Além de alternar altos e baixos em seu rendimento, Fred passou por lesões novamente no Fluminense. Um edema o tirou da reta final do Brasileirão. Já quando foi representar a Seleção Brasileira, na Copa do Mundo, foram 66 dias longe das Laranjeiras.

2015

Além das lesões, Fred foi alvo de protestos de organizadas. Já no Fla-Flu, deixou a equipe na mão, ao ser expulso.

GUERRERO NO CORINTHIANS

2012


A superação marcou o início de Guerrero no Corinthians. Após ajudar a equipe a vencer a Copa Libertadores, o atacante lidou com uma lesão no joelho direito mas, mesmo assim, teve forças para marcar o gol do título do Mundial de Clubes.

2013

O ano em que marcou o gol do título da Recopa Sul-Americana terminou com frustração para Guerrero. Devido a uma fratura no quinto metatarso do pé direito, o peruano ficou fora da reta final do Brasileirão de 2013.

2014

O ano promissor se esvaiu pelas fortes dores no joelho direito. Ao voltar aos gramados, chegou a fazer um Brasileirão satisfatório, mas a equipe ficou longe do título. Sua convocação para amistosos da seleção do Peru o afastaram de algumas partidas e em jogo decisivo da Copa do Brasil.

2015

No ano de seu fim de ciclo no Corinthians, Guerrero ainda viu a dengue tirá-lo de combate por 12 dias. A convocação para a Copa América ainda o afastou da equipe.