LANCE!
26/06/2016
17:55
Porto Alegre (RS)

Como tem coisas que só acontecem com o Botafogo, não haveria time melhor para o Alvinegro vencer e, com isso, subir duas posições (mesmo seguindo na zona do rebaixamento) do que aquele que começou a 11ª rodada podendo chegar à liderança do Brasileirão. Mas a vitória por 3 a 2 sobre o Internacional, em pleno Beira-Rio, não foi obra do acaso. Foi o prêmio para um time que soube, dentro das limitações, construir um placar favorável e criar muitas chances de gol, ainda que tenha perdido várias. Veja a repercussão do jogo.


Com o resultado, o Botafogo chega aos 12 pontos. Já o Inter parou nos 20, dois pontos atrás do líder Palmeiras. Na próxima rodada, o Bota visita o Atlético-MG, enquanto o Colorado pega o Flamengo.

Mas claro que teve “requintes de crueldade” com o torcedor. Nem o mais otimista dos botafoguenses – que costumeiramente nutrem um pessimismo ímpar – poderiam esperar que os dois gols de vantagem aparecessem logo com 15 minutos de jogo.

Compacto, com saídas certeiras de contra-ataque, mas ao mesmo tempo conseguindo o “timing” certo para marcar a saída de bola colorada, o Botafogo colocou o Inter no bolso e saiu em vantagem com Fernandes, depois de excelente jogada de Luis Ricardo pela direita.

O torcedor alvinegro teve mais um motivo para crer na vitória depois que o Inter perdeu uma chance incrível e o resultado foi um contra-golpe botafoguense. Nele, o estreante Camilo deu a assistência para Neilton fazer 2 a 0.

O Internacional passou muito mais tempo com a bola no pé, mas não teve mais chances cristalinas de gol na etapa inicial. A situação colorada piorou depois que Fabinho deu um carrinho em Neilton e levou cartão vermelho – decisão com dose de exagero tomada pelo árbitro Wilton Pereira Sampaio, que estava na Copa América Centenário.

Mas foi no segundo tempo que a tensão cresceu. Mesmo com um a mais, o Botafogo – logo após Neilton perder um gol de cara – deu espaço para Eduardo Sasha diminuir para o Internacional. Virou alta tensão.

Não parou por aí. No minuto seguinte, Camilo, com um belo tapa de fora da área, voltou a dar uma folga maior ao Alvinegro no placar. Acabou? Nem pensar. Ernando trouxe nova dose de adrenalina à partida ao fazer o segundo gol do Inter, de cabeça.

O Internacional continuou pressionando. Mas o Botafogo, por mais chances de gol que tenha perdido, não deixou a virada acontecer. Menção mais do que honrosa para o goleiro Sidão, que fez um verdadeiro milagre depois de uma cabeçada de Bruno Baio.

O apito final trouxe o alívio.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 2 X 3 BOTAFOGO

Local: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data/Hora: 26/6/2016, às 16h
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo e Pablo Almeida da Costa
Cartões amarelos: Geferson, Ernando, Alan Costa, Rodrigo Dourado (INT); Renan Fonseca, Sidão, Gervasio Núñez (BOT)
Cartão vermelho: Fabinho, 42'/1ºT (INT)
Gols: Fernandes, 7'/1ºT (0-1) Neilton, 15'/1ºT (2-0), Eduardo Sasha, 25'/2ºT (1-2), Camilo, 26'/2ºT (1-3); Ernando, 28'/2ºT (2-3);

INTERNACIONAL: Jacsson, William, Alan Costa, Ernando e Geferson; Rodrigo Dourado, Fabinho, Anderson (Alex, intervalo), Gustavo Ferrareis (Bruno Baio, 12'/2ºT) e Andrigo (Marquinhos); Eduardo Sasha. Técnico: Argel.

BOTAFOGO: Sidão, Luis Ricardo, Emerson Silva, Renan Fonseca e, Diogo; Airton (Rodrigo Lindoso, intervalo), Bruno Silva, Fernandes (Gegê, 44'/2ºT) e Camilo (Gervasio, 27'/2ºT); Neilton e Ribamar. Técnico: Ricardo Gomes.