RADAR / LANCE!
08/11/2016
11:37
Rio de Janeiro (RJ)

A reta final do Campeonato Brasileiro vem deixando os ânimos cada vez mais exaltados no país afora. Em meio à busca por título, vagas no G6 e luta contra o degola, a 34ª rodada abrigou momentos de explosão, seja de alegria, de desabafo e até... de descontrole.

O LANCE! traz algumas das situações curiosas que rolaram nos gramados do país afora. 

AMOR POSITIVO E OPERANTE

Corações ficaram a mil no Maracanã também fora de campo. No intervalo de Flamengo e Botafogo, um policial militar que estava a serviço no clássico pediu a namorada em casamento no intervalo. Sob uma expectativa do tamanho do Maraca e diante de torcedores que acompanhara o pedido no telão do estádio, a moça aceitou.

GALINHA NO LUGAR ERRADO, E NA HORA ERRADA

O fanatismo gerou uma situação esdrúxula no Morumbi. Pouco antes da realização do Majestoso, um são-paulino "descontou" sua bronca com o Corinthians em uma pobre... galinha indefesa. O animal, que saíra de um terreno e caminhava com tranquilidade pelas cercanias do estádio, acabou morto pelo torcedor, que foi detido prontamente. 

SINAIS DE ENCRENCA?

Mesmo com a goleada por 4 a 0 do São Paulo sobre o Corinthians e suas chances de descenso reduzidas, o Tricolor ainda vê sinais de que terá dor de cabeça ao seu horizonte. Os sinalizadores voltaram a surgir com tudo nas arquibancadas do Morumbi, a ponto de interromper a partida por quatro vezes. 

COM TODO O RESPEITO...

A irritação do Santos com a maneira como a CBF transferiu a data do confronto com a Ponte Preta ficou visível. Todos os santistas entraram em campo no Moisés Lucarelli com camisas que estampavam nas costas a frase "Faltou respeito". O Peixe venceu por 2 a 1 o jogo.

SEM REFRESCO

Nem mesmo a chuva torrencial no Allianz Parque esfriou os ânimos do Internacional. Sacado durante o revés por 1 a 0 para o Palmeiras, o meia Alex deu um tapa na garrafa de água que o massagista do Colorado, Banha, ofereceu, e soltou o verbo após sair. Pouco depois, o camisa 12 pediu desculpas publicamente ao integrante da comissão técnica.

VAI TER QUE ME OUVIR!

A luta para fazer o Vitória fugir do rebaixamento rendeu a Marinho mais um momento sem papas na língua. Na saída do intervalo do triunfo por 3 a 2 sobre o Atlético-PR, o atacante discutiu asperamente com o zagueiro Victor Ramos.

SOMBRAS DO PASSADO

O Cruzeiro voltou a campo no Mineirão com lembranças bem dolorosas na vitória por 4 a 2 sobre o Fluminense.  Morto durante a partida com Grêmio, Eros Dátilo Belisário foi homenageado com um minuto de silêncio e gerou uma leva de protestos nas organizadas. Torcedores estampavam frases como "Não foi infarto", "Queremos justiça", "Segurança é ameaça", dentre outras coisas. 

PARTIDA À LUZ DE VELAS

O embate entre Santa Cruz e América-MG refletiu até no sentido literal o mau desempenho das duas equipes no Brasileirão. Na reta final da vitória por 1 a 0 do Santinha, parte da iluminação do Arruda apagou mas, mesmo assim, o duelo para ver quem terminaria a rodada na lanterna chegou ao final.  

PAPAI GOSTOU?

Mesmo sem contar com seu treinador, o Coritiba teve um Carpegiani à beira do gramado na vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-MG. Rodrigo Carpegiani, auxiliar do pai Paulo César, ficou no comando da equipe, que se afastou mais do risco de degola. O pai dele ficou orgulhoso?

TENSÃO CONTAGIOSA

A indignação com a expulsão de Marquinhos Pedroso se estendeu a todo o elenco do Figueirense. Vários jogadores do banco de reservas fizeram menção de que iam para cima do árbitro, que chegou a ser cercado por policiais durante o revés por 1 a 0 no clássico diante da Chapecoense.

APRENDE COM ELE...

Enquanto o Grêmio patinava e perdia por 3 a 0 para o Sport de maneira melancólica, o lampejo de criatividade veio justamente... da beira do gramado. Na Arena, o técnico Renato Gaúcho dominou uma bola que havia saído de calcanhar e, em seguida, a fez parar em suas mãos com a maior tranquilidade.