Fellipe Lucena
06/11/2016
18:55
São Paulo (SP)

O Palmeiras venceu mais uma no Allianz Parque e ampliou de cinco para seis pontos a vantagem para o vice-líder do Brasileirão, que agora é o Santos (70 a 64). Cleiton Xavier foi o autor do gol que garantiu a vitória por 1 a 0 sobre o Internacional, tão magra quanto difícil e importante. Foi uma nova prova de que o time de Cuca não está para brincadeira. Mais ou menos como Gobatto, um porco forte e com cara de poucos amigos que foi apresentado antes do jogo como mascote oficial do clube.

O Verdão está a quatro jogos - ou até menos - de quebrar o jejum de 22 anos sem esse título. O próximo desafio será no dia 17, contra o Atlético-MG, em Belo Horizonte. O Internacional, por outro lado, segue sofrendo na parte de baixo da tabela e voltou à turma dos que hoje seriam rebaixados: é 17º, com um ponto a menos que Coritiba e Vitória (38 contra 39). Também no dia 17, o time recebe a Ponte Preta.

O gramado do Allianz Parque, tão criticado nas últimas semanas, não impediu a bola de rolar mesmo com o dilúvio que o atingiu no início do jogo. Mas isso não significa que Palmeiras e Inter tenham abusado de tabelas e jogadas bem trabalhadas. O primeiro tempo teve muito mais disposição do que boa técnica. Melhor para o líder, que usa a bola parada para resolver partidas.

Eram 16 minutos quando Dudu bateu um escanteio da direita e Thiago Santos aproveitou a sobra para escorar de cabeça e deixar Cleiton Xavier de frente para Danilo Fernandes. O camisa 10, escolhido para substituir o suspenso Moisés e titular pela primeira vez desde a 21ª rodada, só teve o trabalho de deslocá-lo para abrir a contagem. No último lance antes do intervalo, em mais um escanteio, o goleiro colorado voou para impedir que Vitor Hugo ampliasse.

A melhor chance dos gaúchos, que sentiram bastante a ausência do machucado Vitinho, também não foi com a bola rolando: Alex, em cobrança de falta ensaiada, quase acertou o canto direito de Jailson. Ao Inter, faltava inspiração para transformar a boa movimentação em oportunidades. O Palmeiras também não conseguia se aproximar do gol. Cleiton Xavier ia bem, mas Dudu e Gabriel Jesus não estavam em tarde muito feliz.

Foi de uma cobrança de falta mal feita por Dudu que surgiu a primeira chance do time de Celso Roth na etapa final, aos oito. Anderson arrancou como em seus velhos tempos, mas concluiu com defeito. Àquela altura, os visitantes já tinham Sasha na vaga de Ceará - William foi da ponta para a lateral - , enquanto o Verdão atuava com Alecsandro no lugar de Róger Guedes, que se machucou.

O confronto seguiu sem muito brilho, a ponto de os jogadores mais ovacionados do Palmeiras serem defensores. Jailson chegou a sair do gol para aplaudir desarmes feitos por Vitor Hugo e Thiago Santos. Isso sem falar na atuação irretocável de Mina. O problema estava lá na frente, e foi agravado quando Cleiton Xavier pediu para sair com dores no ombro. Cuca escolheu Fabiano e devolveu Jean ao meio.

Roth demorou para colocar Valdívia, que substituiu Alex aos 28 do segundo tempo. Preferiu apostar primeiro em Diego na vaga de Aylon. Não surtiu efeito. No tenso fim de jogo, quem chegou mais perto do gol foi o Verdão, mas a bola que tiraria Gabriel Jesus da seca, que chegou ao oitavo jogo, bateu na trave. Quem se importa? Os mais de 31 fanáticos que lotaram a arena foram embora felizes da vida...

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 x 0 INTERNACIONAL


Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data-hora: 6/11/2016 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (Fifa-PE)
Auxiliares: Clóvis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)
Cartões amarelos: Não houve
Público/renda: 31.967/R$ 2.112.466,12

GOL: Cleiton Xavier, aos 16/1ºT (1-0).

PALMEIRAS: Jailson; Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos (Gabriel, aos 36/2ºT), Tchê Tchê e Cleiton Xavier (Fabiano, aos 14/2ºT); Róger Guedes (Alecsandro, no intervalo), Dudu e Gabriel Jesus. Técnico: Cuca

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; Ceará (Eduardo Sasha, no intervalo), Paulão, Ernando e Geferson; Rodrigo Dourado, Anselmo, Anderson, William e Alex (Valdivia, aos 28/2ºT); Aylon (Diego, aos 15/2ºT). Técnico: Celso Roth.