roberson, gremio

Atacante de 27 anos jogou na base do Grêmio entre 2006 e 2008, e ficou no profissional até 2014 (foto: Ricardo Rimoli)

Olga Bagatini
27/12/2016
19:12
São Paulo (SP)

Reforço anunciado pelo Internacional nesta terça-feira, o atacante Roberson despertou a ira da torcida do Grêmio em 2009, quando vestia a camisa tricolor. O motivo? Marcar um gol e abrir o placar contra o Flamengo, na última rodada do Campeonato Brasileiro. Líder, o Rubro-Negro recebeu o Tricolor Gaúcho diante de 70 mil pessoas no Maracanã. Enquanto isso, o Inter - segundo colocado, e que ainda estava vivo na briga pelo título - recebia o rebaixado Santo André no Beira-Rio. 

Para ser campeão nacional pela primeira vez desde 1979, o Colorado precisava vencer o time paulista e torcer por um tropeço no Flamengo dentro de casa. Sem maiores aspirações no certame, a comissão técnica do Grêmio deu férias antecipadas aos titulares. O então interino Marcelo Rospide escalou um time praticamente reserva.  Porém, os atletas gaúchos entraram em campo pressionados: a própria torcida gremista pedia que  a equipe "entregasse" o jogo para o Flamengo, a fim de evitar que o arquirrival conquistasse a taça. 

- É uma história engraçada para contar, mas para quem estava vivenciando, foi complicado. Era muita pressão. A maioria dos jogadores era jovem e eles mal dormiram naquela noite - lembrou o meia Lúcio, do Grêmio, ao LANCE!.

- Todo mundo ficou pensativo. O Brasil inteiro ia parar para ver aquele jogo. Era a chance de quem tinha atuado pouco na temporada ser titular e mostrar serviço. Se tu perde, vai ser analisado de modo negativo, mas, se tu ganha, favorece o maior rival. Foi muito complicado. O Grêmio tinha jogadores subindo do profissional, como Roberson e Douglas Costa. A partida era um divisor de águas na carreira profissional dos meninos  - acrescentou. 

Enquanto os reservas do Grêmio enfrentavam o dilema, o Flamengo entrava em campo confiante. O time contava com peças como o meia Petkovic e o atacante Adriano Imperador. Mesmo assim, o clube de Porto Alegre saiu na frente: Roberson, anunciado nesta terça pelo Inter, abriu  o placar logo aos 21 minutos. Os gremistas presentes no Maracanã não comemoraram, e ainda hostilizaram o jovem atacante pelo feito. Enquanto isso, no Beira-Rio - onde a rede não parava de balançar - os colorados fizeram festa para comemorar o gol rival, que deixava o Inter com uma mão na taça. 

A alegria colorada, contudo, durou pouco. Aos 29 minutos, o zagueiro David Braz deixou tudo igual. O gol do título só saiu aos 24 do segundo tempo, quando Petkovic bateu escanteio e Ronaldo Angelim cabeceou para o gol. O Grêmio teve chance de marcar mais um com o lateral Mário Fernandes, que invadiu a área e chutou para fora.

Após a partida, torcedores do Inter divulgaram um vídeo nas redes sociais em que o atacante Bergson teria pedido a Douglas Costa para "parar de chutar a gol". Para os torcedores do Grêmio, contudo, o time "dificultou demais" a vida do Flamengo. Mesmo após a derrota e a confirmação do título rubro-negro, jogadores como o zagueiro Mário Fernandes foram ameaçados por gremistas revoltados com o "esforço no desembarque em Porto Alegre. 

- A gente chegou no aeroporto e alguns torcedores foram para cima do Mário. Gritavam que ele havia "passado todo o campeonato sendo irregular para chegar na última rodada e se esforçar daquele jeito".  Só porque ele tentou fazer um gol... é aquela coisa de torcedor, envolve muita paixão. A gente lamenta por ter ficado nessa sinuca de bico. O time procurou jogar bem, porque a gente leva o esporte com profissionalismo - avaliou Lúcio, que garantiu que o Grêmio não facilitou a virada do Flamengo no Maracanã. 

- Para quem viu o jogo completo, fica claro que foi aos trancos e barrancos. Fizemos uma grande partida naquela tarde. Entregar o jogo para facilitar ou prejudicar time A ou B não passou pela nossa cabeça. De maneira nenhuma. Esse tipo de rivalidade fica só nas arquibancadas mesmo - completou. 

Roberson
Atleta jogou no Juventude em 2009 e 2014-2016 (foto: Divulgação)

Bate-bola com o técnico Marcelo Rospide, comandante do Grêmio na 'final' 
'Mário Fernandes tentou fazer o gol e quase apanhou'

Como estava o clima no vestiário do Grêmio antes do jogo com o Flamengo?
Eu era o técnico interino. Estive à frente do Grêmio em 11 jogos no ano de 2009, cinco na Libertadores e seis no Brasileiro. A gente viveu um ambiente de muita pressão durante aquela semana em função da nossa torcida. Estávamos preocupados em não causar desequilíbrio na competição, não passou pela cabeça dos atletas e da comissão técnica uma situação em que pudéssemos entregar o jogo. Jogamos como deveria ser jogado.

Na sua opinião, a virada foi totalmente mérito do Flamengo? 
O time do Grêmio que estava em campo era muito novo. Obviamente a equipe do Flamengo era mais experiente, contava com o apoio da torcida no Maracanã. Lembro de alguns lances capitais do jogo onde o goleiro Bruno foi muito importante para salvar o Flamengo. A própria situação do gol do Angelim mostrou a força deles. O resultado foi lógico.

Devido a essa situação com a torcida, alguém 'repreendeu' Roberson pelo gol?
​Não teve puxada de orelha alguma. Estávamos trabalhando e ele estava apenas fazendo o trabalho dele. A final acabou sendo escrita da melhor forma possível. A gente tinha meia dúzia de torcedores, enquanto o Flamengo tinha 70 mil pessoas do lado deles. Não sentimos a pressão da torcida, mas claro que internamente havia o sentimento de que o Grêmio poderia dar o título ao Inter. Mas isso não passou por nós, profissionais ou jogadores.

E, apesar da derrota, os torcedores hostilizaram os jogadores no aeroporto... Sim. jogadores que participaram sofreram represálias no desembarque em Porto Alegre. Mário Fernandes quase apanhou, e permaneceu no clube por mais um tempo. No início do segundo tempo, quando o jogo ainda estava empatado em 1 a 1, ele pegou a bola, atravessou o campo e quase foi parar dentro do gol do Flamengo, mas foi parado por falta na entrada da área. O torcedor viu naquela situação um menino que queria fazer o gol e ganhar o jogo, o que era natural, mas a paixão e a rivalidade pesaram mais nesse caso. 

Quais as principais características de Roberson como jogador?
No período em que trabalhei com Roberson, ele estava fazendo transição da base para o profissional. A estreia dele foi praticamente naquela final, último jogo contra o Flamengo, o Inter podendo ser campeão. Ele foi lá e fez o gol. É um jogador que tem bom cabeceio, amadureceu bastante no período que passou no Juventude, tem boa movimentação e imposição física. É um jogador que tem tudo para dar certo no Inter.

Roberson foi anunciado pelo Inter nesta terça (foto: Divulgação)
Roberson foi anunciado pelo Inter nesta terça (foto: Divulgação)