Eventos particulares, como jogos entre empresas, acontecem no fim de ano do Maracanã (Foto: Igor Siqueira)

Estádio passa por abandono enquanto há impasse (Foto: Igor Siqueira)

RADAR / LANCE!
05/01/2017
14:10
Rio de Janeiro (RJ)

O impasse sobre a manutenção do Maracanã continua a gerar muita discussão. Segundo informações do jornal "O Globo" nesta quinta-feira, governo estadual e a Maracanã S.A. (formada por Odebrecht e AEG) atribuem ao Comitê Organizador da Rio-2016 a série de problemas no estádio, como sujeira, degradação,  falta de luz, os restos de material dos Jogos Olímpicos e os muitos gatos que moram no complexo esportivo, reformado em 2013.

De acordo com informações do diário, faltam sete mil cadeiras, além da arquibancada estar suja e haver vidros quebrados. Além disto, restos de comida deixados por pessoas que foram ao Jogo das Estrelas (ocorrido no dia 28 de dezembro) e a grama ressecada pela falta de luz desde a última sexta-feira são reflexos da falta de manutenção.

A Maracanã S.A. questiona o descumprimento do Termo de Autorização de Uso por parte do Comitê Organizador, e diz que não retomou a manutenção porque os reparos devem ficar a cargo da Rio-2016:

“A concessionária até o momento não reassumiu o Maracanã e o Maracanãzinho devido ao descumprimento do Termo de Autorização de Uso por parte do Comitê Organizador Rio-2016. O VUA prevê que o comitê organizador deverá manter o complexo sob sua administração até que tenha concluído todas as obras de reparação de danos e avarias causadas durante o uso, a fim de que as instalações retornem ao seu estado original. Apenas após o cumprimento dessas obrigações, o complexo retornará à Concessionária.”

Embora reconheça que ainda haja reparos por fazer em relação às obras da Rio-2016, o governo do Rio de Janeiro afirma que repassou o estádio à concessionária e diz que a manutenção fica a cargo da Maracanã S.A.