Bruno Grossi
05/06/2016
20:23
São Paulo (SP)

O São Paulo de 2016 já nos deixou um ensinamento: é melhor esperar antes de criticar as ações de Edgardo Bauza. Neste domingo, contra o Cruzeiro, a teoria mais uma vez foi comprovada, na figura de Ytalo. De contestada opção para a vaga de PH Ganso a herói, o atacante marcou o gol que deu a vitória por 1 a 0 ao Tricolor no Mineirão na noite deste domingo, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

Recém-contratado do Osasco Audax e com apenas dois jogos na equipe de Patón, Ytalo foi escolhido no sábado para ocupar o posto do Maestro. Nas redes sociais, houve uma certa indignação coletiva da torcida pela surpresa na escalação. Queriam Lucas Fernandes, queriam Rogério e, acima de tudo, rejeitavam o escolhido por Bauza.

Mas, como dito acima, é preciso esperar. Ytalo entrou centralizado, mas não como um armador. A tarefa era grudar em Alan Kardec e prender Bruno Rodrigo e Bruno Viana na zaga. Assim, os pontas teriam a incumbência de armar o jogo. E foi aí que Kelvin sobrou. O camisa 30 cansou de fazer o lateral Bryan dançar até encontrar Bruno na linha de fundo.

O ala, agora líder de assistências do Tricolor com seis passes para gol, cruzou com perfeição e encontrou quem? Ytalo, é claro, exatamente onde Patón esperava e apostava e onde nenhum cruzeirense imaginava. O giro sobre Romero aumentou a plástica da jogada, concluída com belo chute de esquerda, sem chance para Fábio.

A improdutividade celeste persistiu no segundo tempo. A equipe de Paulo Bento, econômica que só, viveu de cruzamentos e fez a fama de Lugano e Maicon pelo alto. Denis sairia sem uma gota de suor não fosse bom cruzamento de Lucas cortado com coragem somente aos 38 minutos do segundo tempo.

Ao vencer apenas a terceira partida como visitante no ano – a segunda em jogos oficiais e no Brasileirão –, o São Paulo voltou a colar no G4. A derrota para o Figueirense pode ter causado temor na torcida, mas é preciso esperar, sempre, com Patón. O time agora ocupa a sexta colocação com dez pontos e encara o Atlético-PR às 21h de sábado no Morumbi.

Enquanto isso, paciência como essa no Cruzeiro é artigo de luxo na zona da degola e sem vencer em casa. A Raposa é a 18ª colocada no Brasileirão, atrás do rival América-MG. O próximo compromisso, para deixar o ambiente de Paulo Bento ainda mais conturbado, é o clássico contra o Atlético-MG às 16h de domingo, no Independência.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 0 X 1 SÃO PAULO

Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data-Hora: 5/6/2016 - 18h30
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Nadine Schramm Camara Bastos (FIFA-SC) e Cristhian Passos Sorence (GO)
Público/renda: 18.904 pagantes/R$ 466.861,00
Cartões amarelos: Lucas e Riascos (CRU)
Cartões vermelhos: -
Gol: Ytalo (22'/1ºT) (0-1)

CRUZEIRO: Fábio; Lucas, Bruno Viana, Bruno Rodrigo e Bryan; Henrique, Lucas Romero, Robinho (Alisson, aos 10'/2ºT), De Arrascaeta (Douglas Coutinho, aos 27/2ºT) e Élber; Willian (Riascos, aos 10'/2ºT). Técnico: Paulo Bento.

SÃO PAULO: Denis; Bruno (Auro, no intervalo), Lugano, Maicon e Matheus Reis; João Schmidt, Thiago Mendes, Kelvin, Ytalo (Luiz Araújo, aos 28'/2ºT) e Centurión (Lucas Fernandes, aos 23'/2ºT); Alan Kardec. Técnico: Edgardo Bauza.