RADAR / LANCE!
26/07/2016
16:32
Rio de Janeiro (RJ)

O Campeonato Brasileiro não esquenta apenas em sua briga pelas primeiras colocações. A 16ª rodada foi marcada por lances que deram o que falar, de broncas com arbitragens a uma boa dose de trapalhadas. 

O LANCE! enumera o inusitado que passeou pelos gramados do país afora. Confira!

O CARTÃO QUE DEU MUITA DISCÓRDIA

Sobrou polêmica na partida entre Corinthians e Figueirense. Dodô avançava até a área quando o goleiro Cássio, fora da área, derrubou o atacante da equipe catarinense. Após muito mistério, o árbitro Marielson Alves Silva (BA) puxou o cartão amarelo e, além de o camisa 12 seguir em campo, o Figueira voltou para casa na bronca por ceder o empate em 1 a 1 na Arena Corinthians.

CHOQUE DE COLEGAS

A vitória do Coritiba sobre o Santa Cruz deixou marcas em alguns jogadores da equipe paranaense. Na reta final da partida,  Juninho e o goleiro Wilson tiveram uma trombada feia e foram atendidos. O zagueiro levou a pior, e acabou sacado.

FOI GOL... OPA, NÃO FOI... PERAÍ, ISSO NÃO FOI GOL?

Um "golpe de vista" comprometeu a arbitragem de Leonardo Cavalero (RJ) no Moisés Lucarelli. Aos 34 minutos, Maycon arriscou uma tentativa de fora da área e a bola ultrapassou a linha de meta de Marcelo Lomba. Mas, como depois voltou ao jogo, o árbitro não assinalou o gol legítimo da Ponte Preta contra o Internacional. A Macaca ainda questionou dois pênaltis não marcados no empate em 2 a 2.

É CAMPEÃO MUNDIAL, SIM! 

Dias depois da Fifa prestar uma homenagem ao título da Copa Rio de 1951 (reconhecido como primeiro título mundial pela entidade), a torcida do Palmeiras só quis saber de festa. Em uma ação promovida pelo clube, vários torcedores no Allianz Parque traziam faixas lembrando a conquista. Porém, a euforia só ficou restrita à recordação pelos 65 anos da Copa Rio: em campo, a equipe perdeu por 1 a 0 para o Atlético-MG, e perdeu a chance de aumentar sua distância na liderança do Brasileirão.

SOMOS (QUASE) TODOS FÁBIO!

Houve comemoração frustrada também no Mineirão. Com o capitão Fábio chegando a 700 jogos pelo Cruzeiro, todos os jogadores entraram em campo com a camisa da mesma cor do camisa 1. Porém, os torcedores celestes não tiveram nada para comemorar durante os 90 minutos: derrota por 2 a 1 para o Sport, com grande atuação do goleiro Magrão, e mergulho celeste na zona de rebaixamento do Brasileirão, na partida que culminou na demissão de Paulo Bento e chegada de Mano Menezes.

VAI, DENIS...  MAS CUIDADO, RAPAZ!

Denis até vinha bem na partida contra o Grêmio, até uma batida rasteira de Douglas dar margem para muita preocupação. O goleiro tentou encaixar, mas a bola escapou entre seus dedos e foi para fora. Só que a equipe não evitou a derrota por 1 a 0 para o Tricolor gaúcho. 

HAJA INTIMIDADE COM A BOLA... OPA!

Weverton já mostrou que pode passar muita segurança com as mãos à meta do Atlético-PR, mas ao tentar sair com os pés... O goleiro se embananou feio diante de Richarlison, caiu no chão e permitiu que o atacante do Fluminense roubasse a bola e tentasse a finalização com o gol aberto. Para seu alívio e dos atleticanos da Arena da Baixada, Wanderson salvou em cima da linha. O Furacão ganhou por 1 a 0.

COCHILOU, O Z4 VEIO...

O Botafogo se superou até arrancar o empate contra a Chapecoense com Camilo, mas viu sua chance de sair de campo com um ponto na Arena Condá se esvair por uma lambança. Em um erro desastroso de saída de bola alvinegra, Lucas Gomes surgiu e garantiu a vitória por 2 a 1 dois minutos depois de ter sofrido o gol adversário.

GOL DÁ O QUE FALAR!

Um dos gols do Santos no triunfo sobre o Vitória deu o que falar... literalmente! O árbitro Rodolpho Toski Marques (PA) conversava com o treinador santista Dorival Júnior quando Lucas Lima cobrou falta rapidamente e Caju cruzou para Copete estufar a rede. O gol foi validado e o atacante Dagoberto, do Leão da Barra, soltou o verbo:

- Uma vergonha, nosso futebol brasileiro é uma vergonha. Ele (árbitro) está conversando com o Dorival, eles batem a falta e sai o gol. Está uma vergonha, CBF.

ANOTOU A PLACA?

A noite não era mesmo de Chiquinho. Além de não ter correspondido como substituto de Jorge no duelo entre Flamengo e América-MG, o atleta levou a pior em uma dividida com Osman e acertou em cheio uma placa de publicidade no Kleber Andrade. Mas o Rubro-Negro saiu ileso diante do risco da zebra, vencendo por 2 a 1.