Luiza Sá e Vinícius Faustini
16/09/2016
07:10
Londrina (PR)

Na busca por traçar novos rumos de seu futebol, Keirrison ainda teve de lidar com uma perda fora das quatro linhas. Em 11 de novembro de 2015, o filho do atacante, Henri Lucas, morreu aos 2 anos em Curitiba, em decorrência de uma parada cardiorrespiratória. Cerca de um ano depois, Keirrison afirmou ao LANCE! que a confiança em Deus vem amenizando a dor da despedida:

- Olha, não sou uma pessoa que fala muito em religião, mas para mim foi muito importante a confiança em Deus. Creio que existe um propósito de Deus por ter acontecido esta situação com o meu filho. Nosso filho agora está do lado de Deus, e um dia estaremos junto com ele.

O atacante revelou que, atualmente, busca confortar as pessoas que sofrem com dramas semelhantes:

- Tento ajudar as pessoas que estejam passando por essa situação. Deus deixou claro que todos nós teríamos dificuldades, então cabe enfrentar, e saber alegrar as pessoas sempre que preciso.

O jogador de 27 anos não escondeu o abalo emocional que tomou conta da família. Porém, negou que tenha pensado em deixar o futebol devido à morte de Henri Lucas:

- Cogitar não, mas eu precisava de um tempo. No futebol, é preciso de concentração, e eu precisava cuidar da minha família. Precisei de um tempo para me estabelecer e estar do lado deles, até conseguir voltar aos campos.

De volta aos gramados e, agora, como esperança de gols do Londrina, Keirrison traça o panorama da Série B, e vê a equipe com boas perspectivas:

- O campeonato está bem disputado, com sete ou oito equipes se mantendo em cima. Os jogos são complicados, com muitos resultados surpreendendo. É muito difícil, mas graças a Deus, estamos nos mantendo lá perto. Espero que no momento certo a gente consiga crescer.