RADAR / LANCE!
18/10/2016
18:27
Rio de Janeiro (RJ)

Em uma reta final cada vez mais eletrizante, os ânimos vêm se acirrando não só com as mudanças na classificação. Em evidência, as polêmicas e a enxurrada de reclamações tomaram conta até do inusitado da 31ª rodada do Brasileirão.

Porém, entre "cerco" a trio de arbitragem, juiz perdidinho e até cisco no olho o LANCE! traz as muita curiosidade que rolaram pelos gramados do país afora.

ARBITRAGEM EM XEQUE

A reclamação de um toque no braço de Bruno Silva na jogada no primeiro gol do Botafogo rendeu momentos de tensão ao trio de arbitragem na Arena Botafogo. Enquanto o árbitro Wagner Reway (MT) conversava com o assistente, jogadores do Atlético-MG o cercaram debaixo de muita reclamação. Mas o lance não ganhou ares semelhantes aos do Fla-Flu da última quinta-feira: o juiz validou o gol, enquanto o bandeira corria para o meio de campo na vitória por 3 a 2 do Glorioso. Bronca atleticana? Só depois do jogo!

QUE FASE...

O Cruzeiro viveu no Mineirão aquelas tardes nas quais a bola teima em não entrar. Danilo se desdobrou em defesas, a bola parou na trave e, quando Ábila viu em um pênalti o momento de voltar a se firmar após altos e baixos no Cruzeiro, o argentino... cobrou nos pés do goleiro da Chapecoense. Foi um 0 a 0 daqueles.

ELE TÁ COM A GENTE!

O impacto que a briga entre William e Anderson em um treino foi causaram na torcida do Internacional foi para lá de curioso. Em meio aos cânticos à equipe na vitória por 2 a 1 sobre o Flamengo, a multidão gritou a plenos pulmões o nome do lateral-direito e designou ao meia um "ei, Anderson, vai tomar no c...". E olha que os dois sequer foram relacionados na partida.

OLHA, OLHA, OLHA A ÁGUA MINERAL!

O time do Coritiba tomou uma ducha de água fria logo ao entrar em campo para o AtleTiba. O sistema de irrigação do Durival de Britto disparou, com direito a molhar alguns dos jogadores e a levar ao delírio a torcida do Atlético-PR (única presente no estádio).

APITO É ALVO DE RECLAMAÇÃO DUPLA

A arbitragem não agradou a ninguém no AtleTiba. Ao final do clássico, a torcida do Coritiba reclamou que o gol de Matheus Rossetto foi originado de uma jogada na qual a bola havia saído, e os torcedores do Furacão, de um pênalti de Dodô não marcado. 

IH, VAI DAR O QUE FALAR...

A bronca com a arbitragem também imperou na vitória do Palmeiras sobre o Figueirense. A equipe catarinense questionou o pênalti que gerou o primeiro gol do Verdão, o segundo ainda trouxe uma dúvida se a bola saiu já na cobrança de lateral, e ainda houve um pedido de penalidade de Egídio sobre Rafael Silva. Já os palmeirenses pediram um pênalti sobre Dudu. Vitória por 2 a 1 no Orlando Scarpelli, liderança mantida e muita dose de indignação.

VOCÊ É O CARA!

A atuação do corintiano Walter contra o Atlético-MG foi digna de reverência até de um adversário. A defesa do goleiro para uma finalização de Tony rendeu os cumprimentos do jogador do Coelho, na vitória por 2 a 1 do Timão na Arena Corinthians.

OLHO GORDO?

Um dos assistentes passou por maus bocados na vitória da Ponte Preta sobre o Santa Cruz, por 3 a 0. Durante a partida, ele precisou interromper um jogo porque... caiu um cisco em seu olho. Após ser "socorrido" pelo quarto árbitro, que soprou sua vista e ainda passou água, ele voltou à ativa.

A BOLA ERA PARA QUEM?

Ao menos com as mãos, o gremista Wallace Oliveira não estava em um dia inspirado na Vila Belmiro. Ao cobrar um lateral, a bola foi... novamente para fora, durante o empate em 1 a 1 do Grêmio com o Santos.

MARCO, NÃO MARCO... É PÊNALTI!

A indecisão causou problemas para André Luiz Freitas Castro (GO) na Ilha do Retiro. Após ignorar as reclamações do Vitória sobre um pênalti em Cárdenas e dar escanteio, o árbitro voltou atrás e assinalou que o Leão da Barra teria direito à sua cobrança. Porém, nem com este seu segundo pênalti no jogo, a equipe conseguiu marcar, e amargou a derrota por 1 a 0 para o Sport.

BEM NA FOTO

Nem todos os jogadores do Vitória estão com o filme queimado em meio à má fase da equipe no Brasileirão. No intervalo do jogo na Ilha do Retiro, o goleiro reserva, Caíque, foi abordado por um torcedor que estava na arquibancada e posou para uma foto.  

MAIS ALGUMA DÚVIDA?

A inquietação de Levir Culpi com o fato do goleiro Dênis não ter recebido o vermelho após cometer o pênalti que gerou o gol do Fluminense rendeu um momento de... aula. Durante alguns instantes, o treinador do Tricolor das Laranjeiras ouviu do quarto árbitro as explicações das novas regras quanto a interpretações de expulsões. Agora, quem desaprendeu a jogar foi o Fluminense, que no segundo tempo, tomou a virada por 2 a 1 para o São Paulo.