RADAR / LANCE!
30/05/2016
15:52
Rio de Janeiro (RJ)

A 4ª rodada do Brasileirão não foi marcada apenas pela promessa de que a competição vai esquentar. As lambanças continuam a fazer parte do repertório do futebol nacional, com direito a trazer muita discórdia, render muitas gargalhadas e até encher os olhos de torcedores do país afora.

O LANCE! elenca abaixo o que rolou de pitoresco pelo Brasileirão neste fim de semana. 

O FAIR-PLAY DA DISCÓRDIA

Desconfiado que o jogador Rafael Bastos, do América-MG, pedira atendimento médico para fazer cera, o técnico Paulo Bento exigiu que os jogadores do Cruzeiro não utilizassem mais o recurso do fair-play. A atitude fez jogadores do banco de reservas americano se mostrarem indignados.  Logo depois, quando o português questionou o período de acréscimos, Givanildo de Oliveira partiu para cima do técnico do Cruzeiro e, após questioná-lo se "apitaria a partida", iniciou uma discussão generalizada. Os dois treinadores foram expulsos, em meio a muito bate-boca no empate em 1 a 1 entre Cruzeiro e América-MG, no Mineirão.


PARA TUDO TEM UMA PRIMEIRA VEZ...

O empate em 1 a 1 entre Chapecoense e Santa Cruz, na Arena Condá, foi a primeira partida entre as duas equipes na história do Brasileirão. O resultado manteve ambos invictos nesta edição. Além disto, foi o primeiro jogo no qual Grafite passou em branco na competição.

FOI GOL, NÃO FOI GOL... FOI GOL E PRONTO!

Os dois primeiros gols da vitória do Flamengo sobre a Ponte Preta, por 2 a 1, foram validados depois de muita discussão. Após Wellington Paulista estufar a rede para a Macaca, o bandeirinha anulou a jogada, apontando impedimento de Fábio Ferreira. Porém, o árbitro Anderson Daronco validou o gol. O Rubro-Negro balançou a rede, mas o outro assistente invalidou a jogada, por impedimento de Willian Arão, que não participou do lance. Felipe Amorim é quem desviara para a própria rede da Ponte e empatara o marcador. Depois, Jorge fez um gol para o Fla, de maneira legítima e sem discussões.

 
ANOTOU A PLACA, BANDEIRINHA?

A partida do Moisés Lucarelli ainda rendeu uma situação para lá de inusitada. Depois de sofrer uma falta próximo à lateral, Ederson caiu do lado de fora das quatro linhas e derrubou o bandeirinha. Sem maiores escoriações, o assistente logo se levantou e voltou para o jogo.


RESERVA QUE DÁ CONTA NO TIMÃO

O Corinthians estava com dificuldade para superar o Sport na Ilha do Retiro até Tite decidir sacar Luciano, que não vinha em um bom rendimento, e colocar Lucca. O atacante honrou a expectativa e, sete minutos após entrar em campo, abriu o placar para o triunfo por 2 a 0, que terminou com uma pintura de Marquinhos Gabriel no ângulo de Magrão.

HESITADA CUSTOU CARO NO CLÁSSICO CARIOCA

Emerson e Bruno Silva se embananaram em uma saída de bola do Botafogo, e Douglas teve ampla dificuldade para servir Fred. O atacante, completamente livre, só estufou para a rede e comprovou sua fama de carrasco alvinegro ao dar a vitória ao Fluminense, por 1 a 0.


UM CHOQUE-REI BEM DOLORIDO!

O São Paulo ganhou o Choque-Rei, mas o clássico trará lembranças dolorosas para Denis. Após espalmar finalização, o goleiro viu seu rosto de chocar com a chuteira de Alecsandro e render um corte. Diante do sangue que não estancava, o atacante do Palmeiras mostrou-se solidário, e indicou a Denis como utilizar a touca de natação sem evitar que o sangramento continuasse a sair de sua cabeça.

KELVIN, O ENDIABRADO

As lembranças do Choque-Rei também não serão nada agradáveis para o palmeirense Zé Roberto. Não só pela vitória por 1 a 0 do São Paulo, mas pelos dribles e jogadas impressionantes que o são-paulino Kelvin aplicou sobre o veterano jogador.


FAIR-PLAY POLÊMICO... PARA TORCIDA E OS DOIS TIMES!

Nem tudo foi euforia entre o Grêmio e sua torcida durante a vitória por 2 a 0 sobre o Coritiba. Após Maicon jogar a bola para fora e permitir que Alan Santos fosse atendido pelos médicos, o volante foi alvo de vaias e xingamentos dos gremistas na Arena e ainda ouviu a bronca de Roger Machado. O Tricolor gaúcho "compensou" no lance seguinte, ao conseguir um gol com Everton mas, a bronca passou para o lado do Coxa: o zagueiro Rafael Marques disse que a equipe levou a pior porque "Eles fizeram bem quando tínhamos um jogador a menos".


FUMACÊ DO IMORTAL

O início de partida entre Grêmio e Coritiba também teve uma certa dose de "nebulosidade". A fumaça dos sinalizadores que torcedores gremistas acenderam em um dos setores chegou à área da meta de Wilson, gerando muita bronca do goleiro e do banco de reservas do Coxa. A partida foi retomada após a fumaça artificial se dissipar.


AUTOR DO GOL É 'ESPERADO'... PELA IMPRENSA!

Responsável por dar a vitória por 1 a 0 ao Internacional sobre o Santos, em plena Vila Belmiro, Aylon rendeu muita expectativa dos repórteres. Como a ordem no Colorado é de que jogadores que entraram durante o jogo façam aquecimento ao fim da partida, o atacante, que precisou de três minutos para estufar a rede, foi aguardado pela imprensa para conceder entrevistas.