Alexandre Guariglia
28/10/2016
07:00
São Paulo (SP)

Quem são os gringos em ação no Campeonato Brasileiro? A seis rodadas do fim da competição, o LANCE! levantou todos os estrangeiros que entraram ao menos uma vez em campo na principal competição do país. Os argentinos são os que mais jogaram: 24 atletas. Ao todo, 65 gringos, de 12 nacionalidades, atuaram no Brasileirão, sendo que 12 deles já deixaram seus clubes.

Quem teve bom desempenho? Levando em conta as notas dadas pelos jornalistas do L!, 18 jogadores estão com média igual ou superior a 6,0. Três zagueiros aparecem com destaque: Mina, do Palmeiras, Carli, do Botafogo, e Noguera, do Santos. O último, no entanto, jogou apenas três partidas e é reserva da equipe de Dorival Júnior. Considerando-se os titulares, Mina, com nove partidas e quatro gols no Brasileirão, é o que tem média mais alta: 6,5. Cazares, meia do Atlético-MG, tem a mesma avaliação do palmeirense. O equatoriano esteve em campo 13 vezes e marcou seus gols pelo Galo.

O meia Arrascaeta, do Cruzeiro, é o estrangeiro que mais jogou até agora no Brasileirão, com 26 partidas e seis gols marcados, seguido de perto pelo zagueiro Balbuena, do Corinthians, com 25 jogos. Só o primeiro está entre os atletas com notas do L! acima da média (ver todos na fotos acima).

Veja a lista completa de todos os jogadores que já atuaram no Brasileirão, número de jogos, gols e notas, e análises de jornalistas dos países (Ty Sandows, da África do Sul, jogou poucos minutos pelo Grêmio e ficou sem nota):

ARGENTINA (24 atletas)
Dátolo (meia) - Atlético-MG - 6 jogos - 6,2 nota L!
Lucas Pratto (atacante) - Atlético-MG - 15 jogos e 3 gols - 5,9
Lucho González (meia) - Atlético-PR - 6 jogos - 5,8
Joel Carli (zagueiro) - Botafogo - 11 jogos - 6,4
Núñez (meia) - Botafogo - 16 jogos e 1 gol - 5,7
Ábila (atacante) - Cruzeiro - 16 jogos e 7 gols - 5,8
Sánchez Miño (volante) - Cruzeiro - 4 jogos - 5,6*
Lucas Romero (volante) - Cruzeiro - 19 jogos - 5,7
Mancuello (meia) - Flamengo - 19 jogos e 3 gols - 6,1
Canteros (volante) - Flamengo - 2 jogos - 5,5*
Donatti (zagueiro) - Flamengo - 1 jogo - 6,0
Aquino (meia) - Fluminense - 1 jogo - 4,5
Kannemann (zagueiro) - Grêmio - 11 jogos - 5,4
Ariel (atacante) - Internacional - 9 jogos e 1 gol - 5,3
Cristaldo (atacante) - Palmeiras - 3 jogos e 1 gol - 6,0*
Allione (meia) - Palmeiras - 6 jogos - 5,7
Pisano (meia) - Cruzeiro/Santa Cruz - 13 jogos e 2 gols - 5,6
Maxi Rolón (atacante) - Santos - 2 jogos - 5,2*
Vecchio (meia) - Santos - 6 jogos - 6,1
Noguera (zagueir) - Santos - 3 jogos e 1 gol - 7,5
Centurión (atacante) - São Paulo - 15 jogos - 5,5*
Calleri (atacante) - São Paulo - 5 jogos e 3 gols - 5,8*

Chavez (atacante) - São Paulo - 16 jogos e 5 gols - 6,0
Buffarini (lateral-direito) - São Paulo - 12 jogos - 5,7
*já deixaram o clube

Com a palavra - Bruno Sturari - Diário Olé (Argentina)
"O jogador mais comentado aqui na Argentina é Lucas Pratto, que conquistou uma vaga na seleção argentina. Se destacava muito quando jogava no Vélez e segue o mesmo nível no Atlético. Situação similar acontece com Wanchope Ábila e seu grande início no Cruzeiro. Fez muitos gols no Huracán e até cogitavam sua ida ao Boca, o que acabou não se concretizando. Cada gol que ele marca é uma enorme repercussão por aqui. O curioso é que atualmente muitos atacantes argentinos estão indo para o futebol brasileiro, antes apostavam nos meias criativos, como Conca, Montillo e D'Alessandro. Chavez era reserva no Boca e em poucos meses de São Paulo conseguiu marcar muitos gols. De resto, Mancuello era capitão do Independiente e aos poucos foi ganhando espaço no Flamengo, que briga pelo título do Brasileirão. O que surpreende é que o zagueiro Alejandro Donatti não jogue com frequência, jogador indiscutível no Rosario Central e que tinha grande rendimento"


BOLÍVIA (1 atleta)
Ramallo (atacante) - Vitória - 4 jogos - 5,2 nota L!

CAMARÕES (1 atleta)
Joel (atacante) - Santos - 16 jogos e 2 gols - 5,5 nota L!

CHILE (3 atletas)
Canales (atacante) - Botafogo - 9 jogos e 1 gol - 5,7 nota L!
Mena (lateral-esquerdo) - São Paulo - 15 jogos - 5,6
Mark González (meia) - Sport - 8 jogos e 1 gol - 5,9*
*já deixou o clube

COLÔMBIA (12 atletas)
Loboa (meia) - América-MG - 3 jogos - 4,8 nota L!*
Riascos (atacante) - Cruzeiro - 11 jogos e 1 gol - 5,5*
Michael Ortega (meia) - Figueirense - 7 jogos - 5,6*

Cuéllar (volante) - Flamengo - 15 jogos - 5,7
Mina (zagueiro) - Palmeiras - 9 jogos e 4 gols - 6,5
Valencia (volante) - Santos - 1 jogo - 6,0
Copete (atacante) - Santos - 19 jogos e 6 gols - 6,2
Wilder (atacante) - São Paulo - 1 gol - 5,8*
Oswaldo Henríquez (zagueiro) - Sport - 3 jogos - 6,0
Reinaldo Lenis (meia-atacante) - Sport - 13 jogos - 5,0
Luis Carlos Ruiz (atacante) - Sport - 7 jogos e 1 gol - 5,9
Cárdenas (meia) - Vitória - 14 jogos - 5,2
*já deixaram o clube

Com a palavra - Santiago Bedoya - Radio Caracol (Colômbia)
"Yerry mina é o primeiro nome que vem à cabeça entre os colombianos que jogam no Brasil, teve grande atuação recentemente pela seleção nacional salvando um ponto com gol frente ao Uruguai. As notícias que chegam do território brasileiro sobre ele são muito boas, além disso tem jogado sempre os 90 minutos. É um dos melhores zagueiros para o futuro. No Sport, está Luis Carlos Ruiz, que não saiu muito bem do Atlético Nacional, não jogava aqui e também não é titular no Brasil. São poucas as informações que chegam sobre ele. Outra promessa é Jonathan Copete, que nos últimos cinco jogos jogos foi titular e marcou no clássico contra o São Paulo. A regularidade dele tem sido muito celebrada por aqui, inclusive com pedidos para que ele integre a seleção nacional. Gustavo Cuellar parece não ser o titular no Flamengo e muitas vezes não entra em campo, o que se tornou algo raro. No futebol colombiano sempre foi titular e se projetava com uma grande volante, o que lhe deu inclusive um lugar na seleção colombiana. Jogadores como Ortega e Henríquez não são muitas as notícias que chegam em território '"afetero". No entanto, na Colômbia se tem orgulho dos principais embaixadores do futebol colombiano no Brasil como Copete e Mina por conta de seus desempenhos."


COSTA RICA (1 atleta)
Rodney Wallace (atacante) - Sport - 21 jogos e 3 gols - 5,7 nota L!

EQUADOR (4 atletas)
Cazares (meia) - Atlético-MG - 13 jogos e 6 gols - 6,5 nota L!
Erazo (zagueiro) - Atlético-MG - 17 jogos - 6,0
Miller Bolaños (atacante) - Grêmio - 14 jogos e 1 gol - 5,6
Alex Bolanõs (meia) - Santa Cruz - 3 jogos - 5,3*
*já deixou o clube

Com a palavra - Andrés Donoso - Radio City (Equador)
"Os vejo muito abaixo, principalmente Miller Bolaños e Juan Cazares, que chegaram ao futebol brasileiro com status de grandes jogadores, basicamente por suas atuações na seleção. Infelizmente eles tiveram uma queda muito grande de rendimento, tirando Erazo que se mantém com um nível de jogo há algum tempo. Nenhum dos três foi convocado para as próximas partidas do Equador, seja por lesão ou por baixo rendimento. Nos perguntamos o porquê dessa queda. Cazares é um excelente jogador, fez partidas maravilhosas nas Eliminatórias. Sabemos da lesão que Miller Bolaños teve e que isso contribuiu para sua queda de rendimento, mas mesmo assim não entendemos. Nos surpreendeu demais o quanto caíram de produção ao longo da temporada."

PARAGUAI (7 atletas)
Balbuena (zagueiro) - Corinthians - 25 jogos - 5,4 nota L!
Romero (atacante) - Corinthians - 22 jogos e 5 gols - 6,1
Gatito Fernández (goleiro) - Figueirense - 23 jogos - 6,1
Lucas Barrios (atacante) - Palmeiras - 9 jogos e 1 gol - 5,8
Jorge Ortega (atacante) - Coritiba - 5 jogos e 1 gol - 5,4
César Benítez (zagueiro) - Coritiba - 11 jogos - 5,5
Nery Bareiro (zagueiro) - Coritiba - 11 jogos e 1 gol - 5,7

Com a palavra - Edgar Cantero - Pelota Tata (Paraguai)
"Nos chama muito a atenção o Angel Romero, pelos gols que está fazendo, pelo crescimento que teve desde que chegou ao Corinthians e pela forma que superou o período que ficou fora do time titular. Também vemos com bons olhos Gatito Fernández que, mesmo em um time intermediário na tabela, tem respondido muito bem às dificuldades que são impostas a ele. Ele é um goleiro que tem condições de jogar em outros países, teve propostas, quis ficar no Brasil e isso o ajudou a ter uma oportunidade na seleção com Francisco Arce. Barrios nós sabemos como é, um jogador de muita hierarquia, foi fundamental para o título da Copa do Brasil no Palmeiras. Neste ano teve uma certa dificuldade para jogar, para estar pronto, por isso ficou fora da Copa América, para ganhar ritmo e reconquistar a titularidade. Algo que ele pode voltar a ter no último mês e que o levou de novo à seleção. É um jogador que faz a diferença, mesmo que não jogue com tanta frequência, confiamos muito." 

PERU (2 atletas)
Guerrero (atacante) - Flamengo - 16 jogos e 7 gols - 6,0 nota L!
Cueva (meia) - São Paulo - 18 jogos e 6 gols - 6,3

TURQUIA (1 atleta)
Kazim (atacante)- Coritiba - 16 jogos e 3 gols - 5,9 nota L!

URUGUAI (5 atletas)
Salgueiro (atacante) - Botafogo - 11 jogos e 1 gol - 5,5 nota L!
Gino (volante) - Cruzeiro - 4 jogos - 5,3
Arrascaeta (meia) - Cruzeiro - 26 jogos e 6 gols - 6,2
Nico López (atacante) - Internacional - 8 jogos - 5,2
Lugano (zagueiro) - São Paulo - 13 jogos e 2 gols - 5,7

VENEZUELA (3 atletas)
Otero (meia) - Atlético-MG - 10 jogos e 2 gols - 6,0 nota L!
César González (meia) - Coritiba - 12 jogos - 5,7
Seijas (meia) - Internacional - 16 jogos e 4 gols - 5,8