Igor Siqueira
20/11/2016
21:26
Rio de Janeiro (RJ)

Acabou o cheirinho, acabou o sonho. Nada de título para o Flamengo. Ser campeão brasileiro já seria um milagre, mas as chances viraram fumaça em mais uma atuação repudiável do time em pleno Maracanã. No estádio que tem como casa, três jogos, três empates, desta vez contra o Coritiba, por 2 a 2, após chegar a abrir 2 a 0 no placar. Diante de tantas falhas em horas decisivas, não há briga pelo título que resista.

Resta agora a disputa para confirmar vaga na fase de grupos da Libertadores, o chamado G3. Domingo tem adversário direto pela frente, o Santos, de novo no Maracanã.

O Flamengo foi a campo já sabendo os resultados de palmeirenses e santistas na rodada. Mesmo ciente de que as contas para o milagre do hepta estavam ainda mais complicadas, o Rubro-Negro começou a partida de forma muito intensa, com um apetite pouco visto nas cinco rodadas anteriores.


O gol nasceu muito rápido, logo no segundo minuto de partida, quando Gabriel, seguindo “dica” que ele mesmo deu em ações promocionais na televisão, escorou de chapa o ótimo cruzamento de Everton da esquerda.

Por falar no camisa 22, ele foi um dos destaques do time na primeira etapa. Imprimindo muita velocidade, mesmo nos momentos em que o time caiu no marasmo, Everton foi preocupação constante par ao Coxa. E em mais uma jogada na ponta, outro cruzamento certeiro, agora para Diego chapar de primeira, levou o Flamengo a abrir 2 a 0.

O segundo gol rubro-negro veio depois de um período de instabilidade e pouca produtividade ofensiva. Teve direito a susto lá trás, como bola cruzada e cabeceio. Muralha apareceu providencialmente para espalmar. Mas o goleiro nada pôde fazer em nova soneca defensiva do Fla. Aí Amaral, quase acabando o primeiro tempo, diminuiu.

O jogo ficou perigoso para o lado rubro-negro. Chances foram criadas e perdidas. Ao mesmo tempo, o Coxa chegou com muito mais perigo ainda. Márcio Araújo, por exemplo, quase fez a torcida inteira infartar com um recuo mal feito para o goleiro. A arbitragem fez a torcida xingar quando deu impedimento indevido de Guerrero, após o atacante já ter driblado o goleiro.

A tragédia anunciada virou realidade. Triste realidade. Kleber Gladiador, já aos 42 minutos do segundo tempo, empatou o jogo. O "cheirinho" de indignação foi o que tomou conta do Maracanã. Resta agora terminar com brios a competição.

FLAMENGO 2 x 2 CORITIBA
Local
: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 20/11/2016, às 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo e Pablo Almeida da Costa (Fifa/MG)
Cartões amarelos: Rafael Vaz (FLA); Leandro, Amaral (CTB)
Renda/Público: 35.066 pagantes / R$ 1.567.543,50
Gols: Gabriel, 2'/1ºT (1-0); Diego, 28'/1ºT (2-0); Amaral, 42'/2ºT (2-1); Kleber Gladiador, 42'/2ºT (2-2)

FLAMENGO: Alex Muralha, Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo (Vizeu, 43'/2ºT), Willian Arão, Diego, Everton (Fernandinho, 30'/2ºT) e Gabriel (Mancuello, intervalo); Guerrero. Técnico: Zé Ricardo.

CORITIBA: Wilson, Walisson Maia, Nery, Juninho e César Benítez (Carlinhos, 32'/2ºT); Amaral, Yan Sasse, Raphael Veiga (Iago Dias, 35'/2ºT); Leandro, Kazim e Kleber. Técnico: Paulo César Carpegiani.