Bruno Grossi
19/06/2016
17:58
São Paulo (SP)

Um clássico da dimensão de Flamengo e São Paulo merecia um jogo com a intensidade que foi vista neste domingo, em Brasília. De volta ao Mané Garrincha contra um grande paulista, o Rubro-Negro prometia se impor e cumpriu. Cada vez mais à vontade no Tricolor, Calleri prometia brilhar em uma partida de alto nível e cumpriu - mas foi além. O duelo da nona rodada do Campeonato Brasileiro terminou em 2 a 2, com sentimento pior para os cariocas, que perderam pênalti aos 49 minutos. 

Os cariocas, empurrados por Willian Arão e Alan Patrick, mandavam no meio de campo. Havia paciência e consciência para envolver os paulistas, que sofriam com a inexperiência de Matheus Reis e jornadas ruins de pilares do time. Mas quando se tem a oportunidade de contar com Paulo Henrique Ganso em campo, as chances aparecem. Aos 11 minutos, o Maestro lançou Calleri de primeira, que deixou Márcio Araújo para trás e marcou com categoria.

Denis, sempre criticado, segurava o Fla com boas defesas, mas foi atrapalhado por um lance de azar. Jorge e Everton fizeram ótima - e rara - tabela pela esquerda, que terminou em cruzamento. Denis espalmou, a bola bateu em Rodrigo Caio e morreu nas redes. O empate rubro-negro aos 21 era justíssimo pelo volume de jogo superior e pela imposição ofensiva.

Os comandados de Zé Ricardo continuaram martelando e parando em Denis, inclusive no começo do segundo tempo. Só que mais uma vez Calleri foi letal. Em cinco minutos, recebeu cruzamento perfeito de Kelvin e testou longe de Alex Muralha para deixar o São Paulo na frente. O poder de decisão do argentino, artilheiro do clube no ano com 15 gols em 27 jogos, foi provado, mas era preciso muito mais para segurar a boa tarde flamenguista.

Calleri chegou a três gols no Brasileirão, enquanto Willian Arão fez o primeiro dele

Oito minutos mais tarde, Matheus Reis cometeu falta infantil e Alan Patrick cobrou com capricho. Calleri perdeu o contato com Arão, que saltou soberano e testou firme no canto direito de Denis. Mais um prêmio à audácia carioca e o início do martírio de Jony. O argentino, irritado com Elmo Resende Cunha, levou dois amarelos em três minutos e foi expulso. Prato cheio para o Flamengo seguir se impondo, cada vez mais perto virar.

O São Paulo ao menos se segurou melhor quando Rodrigo Caio deixou de errar tanto, mas não conseguia sair porque João Schmidt viveu tarde sonolenta. Alan Patrick comandava a pressão de um lado e Denis salvava a pátria do outro, até que o meia teve chance de virar em cobrança de pênalti aos 49 minutos. A batida, porém, foi para fora e ninguém pôde comemorar muito. Afinal, sem vitória, a vaga no G4 não veio para quem chegou a 14 pontos.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 2 X 2 SÃO PAULO

Local:
Estádio Mané Garricha, em Brasília (DF)
Data/horário: 19 de junho de 2016, domingo, às 16h
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha-GO
Assistente: Alessandro Rocha de Matos-BA e Guilherme Dias Camilo-MG
Público/renda: 27.233 pessoas/R$ 1.493.145,00
Cartão amarelo: Marcelo Cirino (FLA); Caramelo, Kelvin e Calleri (SAO)
Cartão vermelho: Calleri
Gols: Jonathan Calleri 11'1ºT (1-1) e Rodrigo Caio (contra) 22'1ºT (1-1); Calleri 6'2ºT (1-2); Willian Arão 13'2ºT (2-2);

FLAMENGO: Alex Muralha; Rodinei, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Willian Arão e Márcio Araújo; Marcelo Cirino (Gabriel 33'2ºT), Alan Patrick e Éverton (Fernandinho 8'2ºT); Vizeu (Emerson Sheik 22'2ºT). Técnico: Zé Ricardo

SÃO PAULO: Denis; Bruno (Alan Kardec 39'2ºT), Maicon, Rodrigo Caio e Matheus Reis; João Schimidt e Artur; Kelvin (Caramelo 26'2ºT), PH Ganso (Ytalo 32'2ºT) e Michel Bastos; Jonathan Calleri. Técnico: Edgardo Bauza