RADAR/LANCE
21/05/2016
22:53
Belo Horizonte (MG)

Começou a era Paulo Bento no Cruzeiro. Pela primeira vez em 95 anos, o clube foi comandado por um técnico europeu. E a estreia do português aconteceu diante da torcida, no Mineirão, fechando a rodada de jogos deste sábado. Mas o novo treinador não saiu totalmente satisfeito depois do que viu. O Cruzeiro não jogou mal, saiu atrás do marcador e até teve forças para evitar a derrota, mas só empatou por 2 a 2 com o Figueirense.

O atacante Rafael Moura, que está emprestado pelo Atlético-MG, marcou os dois gols do Figueirense, ambos de cabeça. A Raposa buscou a igualdade com Élber, em um golaço, driblando três jogadores, e Douglas Coutinho, minutos após entrar em campo.

O jogo
A postura do Cruzeiro foi a primeira mudança notada em comparação à estreia muito apagada no Brasileiro. O time da casa controlou o jogo, ficou mais com a bola na maior parte do tempo e buscou mais o gol, enquanto o Figueirense deixou muito claro sua proposta de se fechar na defesa e explorar os erros do adversário para contra-atacar com velocidade. Porém, o time da casa pecou demais na hora do último passe, por muitas vezes tocando demais a bola até definir mal a jogada ou ser desarmado.

Com dificuldades para chegar ao gol pelo meio, o clube procurou as jogadas aéreas pelos lados ou com os chutes em longa distância. Contudo, faltou mais capricho na hora de finalizar. Por outro lado, precisão não faltou ao Figueirense na única chance perigosa que criou no primeiro tempo. Aos 40 minutos, Jefferson desceu pela direita e colocou a bola na cabeça de Rafael Moura, que ainda contou com a marcação frouxa de Bruno Rodrigo para abrir o marcador. 1 a 0.

A ineficiência na bola aérea do Cruzeiro ficou mais uma vez evidente no início da etapa final. Novamente pelo alto, agora em escanteio, Rafael Moura subiu mais alto que a zaga celeste e balançou outra vez as redes de Fábio. A torcida celeste só não perdeu a paciência porque no minuto seguinte, Élber ‘apelou’ para o individualismo, passou por três adversários, fez fila e tocou na saída de Gatito Fernández.

Gol que fez bem e reanimou o Cruzeiro. Instantes depois, Sánchez Miño acertou o cruzamento e Douglas Coutinho, com quatro minutos em campo, testou firme para empatar o jogo. Tudo igual, 2 a 2.

Nos 15 minutos finais, o Cruzeiro partiu para o ataque na base do abafa. Do banco de reservas, Paulo Bento pediu calma aos jogadores, mas em campo viu seu time mesclou lances de pressão com novos vacilos. Aos 41, Rafael Moura teve a última chance de perigo da partida e só não jogou um novo balde de água fria porque parou em um milagre de Fábio dentro da pequena área. 2 a 2 placar final.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2x2 FIGUEIRENSE

Data/Hora: 21/05/2016, às 21h
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Arbitragem: Wagner Reway (MT)
Auxiliares: Fábio Rodrigo Rubinho (MT) e Fabio Pereira (TO)

GOLS: Rafael Moura, 40'1ºT (0-1), 9'2ºT (0-2); Élber, 10'2ºT (1-2); Douglas Coutinho, 17'2ºT (2-2)
Cartões amarelos: Bruno Viana, Sánchez Miño, Ariel Cabral (CRU), Marquinhos Pedroso (FIG)
Cartão vermelho: Não teve.
Público/Renda: 12.647 presentes/R$300.811,00.

CRUZEIRO: Fábio; Federico Gino, Bruno Vianna, Bruno Rodrigo e Sánchez Miño; Henrique, Bruno Ramires; Pisano (Douglas Coutinho - 13'2ºT), Arrascaeta (Allano - 32'2ºT - Ariel Cabral - 42'2ºT) e Elber; Willian. Técnico: Paulo Bento.

FIGUEIRENSE: Gatito Fernández; Jefferson, Bruno Alves, Jaime e Marquinhos Pedroso; Elicarlos, Ferrugem (Dudu - 32'2ºT), Jocinei e Bady (Ortega - 21'2ºT); Guilherme Queiroz (Ermel - 21'2ºT) e Rafael Moura. Técnico: Vinícius Eutrópio.