RADAR / LANCE!
05/07/2016
13:29
Rio de Janeiro (RJ)

O sotaque paulista continua a chamar a atenção neste Campeonato Brasileiro. Ao fim da 13ª rodada, os especialistas do LANCE! destacaram a liderança do Palmeiras e momentos de ascensão de Corinthians e Santos.

Entre o "dever cumprido" e os resultados surpreendentes, os analistas enumeram o que chamou atenção pelos gramados afora. Confira!

JOÃO CARLOS ASSUMPÇÃO - Colunista do LANCE!

O Palmeiras segue como grande favorito ao título. Tem o melhor técnico do Brasileirão, um bom elenco e acertou sua forma de jogar. Porém, o destaque da rodada foi o Corinthians, pelo segundo tempo apresentado no último domingo. Romero mostrou que pode ser muito útil ao Timão, enquanto Guerrero segue como uma dor de cabeça para o Flamengo.

O Grêmio patinou em alguns momentos, mas mostrou que também deve brigar pela conquista, ao bater o Internacional em pleno Beira-Rio. Outro destaque foi o Santos, que segue com segurança e fez uma ótima segunda etapa. Porém, com a Olimpíada, os santistas podem sentir falta dos convocados e cair um pouco, em virtude do calendário maluco, e nesta hora muitos dos que não cederão jogadores à Seleção Brasileira podem reagir.

O Fluminense é que precisa de um sinal de alerta. Até agora não se encontrou no Brasileiro, e preocupa sua torcida diante destas atuações. Já o Santa Cruz manteve sua queda livre.

EDUARDO MANSELL - Editor do LANCE!


O destaque da rodada foi, sem dúvida, Gabriel Jesus, principal jogador do Palmeiras, equipe não lidera por acaso. Neste "mini-Paulistão" no qual se tornou o G4, o Corinthians, com a goleada sobre o Flamengo, ganhou força na rodada. É claro que ainda é cedo para falar que os dois rivais paulistas vão polarizar a disputa, mas deverão estar nela com certeza.

O Santos vai lutando contra sua irregularidade para se firmar no G4, onde o Grêmio está com justiça, após ter ganhado um clássico diante do Internacional na casa do rival. Na parte de baixo, o Botafogo vem dando sinais de que pretende embalar para largar a briga contra a degola. Já o Cruzeiro, quando se pensava que ia reagir, ele parou mais uma vez.

CARLOS ALBERTO VIEIRA - Editor e colunista do LANCE!

Foi uma rodada estranha, na qual o Flamengo mostrou bom futebol e seguiu sua nítida evolução contra o Corinthians, mas na meia hora final levou uma goleada que mostrou o seu pior lado, com a falta de atenção e o desespero, e acabou goleado numa partida louca.

Melhor para o Corinthians, que viu o irregular Romero brilhar. Talvez, sob o comando de Cristóvão Borges, o gringo deixe de ser mais um na multidão corintiana e venha a ser um jogador decisivo. Caso isto ocorra, todos dirão que esta partida foi o divisor de águas da sua carreira.

Tirando o superclássico, a rodada apresentou nuances. O Palmeiras venceu, como era esperado, a manteve uma boa distância na frente, gordura importante para dois jogos-chave que terá pela frente, Santos e Internacional. Estes próximos jogos mostrarão se o Verdão é candidato ao título de vez.

Como era esperado, o Gre-Nal acentuou o mau momento do Internacional, que parece entrar na sua rotina de favorito que sempre desanda, tão comum nos últimos 30 anos. Também foi jogada por terra aquela ideia de que teríamos um Brasileirão com jeitão de Campeonato Gaúcho.

Com isso, a rodada já começa a por paulistas na dianteira, conforme a teoria indicava. Corinthians e Santos, com seus bons elencos, encostando no Palmeiras e o trio no G4. O São Paulo segue fixado na Libertadores e isso o tira do bolo da frente.

Destaque da rodada para a Ponte Preta, que deu engrenada importante e começa a se afastar do Z4. E também a apertada vitória do Atlético-PR sobre o América-MG, em jogo ruim, mas importante, pois recoloou o Furacão na cola do G4.

O Botafogo venceu o Santa Cruz. Mais do que a obrigação, pois encarou um rival em queda livre, em crise, com quatro derrotas seguidas e não apenas desfalcado, mas despedaçado, com o treinador obrigado a escalar um júnior na zaga (que fez a sua estreia no fogo e falhou logo no primeiro minuto, cedendo um gol a Sassá). Mas a vitória escondeu uma atuação muito ruim, pois o Alvinegro fez apenas 2 a 1 e passou o segundo tempo levando sufoco. Venceu, mas não convenceu a ninguém. O mesmo fez o Fluminense. A vontade não esteve presente no sábado contra o Coritiba e o 0 a 0 fez justiça. A pior partida da rodada.

O Atlético-MG decepcionou. Não pelo resultado - empate fora de casa com o Figueirense - mas pelo mau futebol, sem vontade de ir para a frente. E o treinador Marcelo Oliveira inacreditavelmente tirando os dois jogadores mais criativos na segunda etapa (sacar Cazares foi de doer).

Alías, os técnicos mineiros extrapolaram. Paulo Bento, no Cruzeiro acabou sendo o rei das invenções na rodada. No segundo tempo, tirou os dois laterais e colocou o meia-atacante Willian e o atacante Allano nas funções. Conseguiu a proeza de desarrumar a Raposa que vencia o Vitória em pleno Mineirão por 2 a 0, com público excepcional de mais de 40 mil e cedeu o empate em 2 a 2. Que Sobis e Ábila, apresentados no MIneirão, entrem em campo logo. Mas, é bom ficar na torcida para que o técnico português escale estes jogadores no ataque e não na defesa ou até no gol.