João Leite

João Leite é candidato a prefeito de Belo Horizonte na coligação "Juntos por BH" (Foto: Reprodução)

Thiago Fernandes e Vinícius Faustini
28/10/2016
07:10
Belo Horizonte (MG)



No próximo domingo, a população de Belo Horizonte vai às urnas para definir, entre dois candidatos ligados ao esporte, quem será o novo prefeito. Às vésperas do fim do Segundo Turno, o LANCE! traz, em entrevista exclusiva, os planos que o candidato João Leite (PSDB) tem para o esporte na cidade para os próximos quatro anos.

1 - Qual papel o esporte terá em sua gestão, caso seja eleito?

O esporte terá papel central. Aliás, a prática de esportes é uma bandeira desde o meu primeiro mandato como vereador em Belo Horizonte, em 1992. Como secretário municipal de Esportes, aprovei 12 projetos voltados para a prática de esportes, como “Superar”, para pessoas com deficiência, o “Pró-Campim” e o “Quadras Abertas”, entre outros. Alguns deles, com nomes diferentes, permanecem até hoje. No meu Plano de Governo estão previstos programas e ações na área esportiva para todas as finalidades, da prática de esportes na escola básica até programas com foco na profissionalização, como o “Vilas Olímpicas nas Vilas”.

2 - Quais são seus planos para o desenvolvimento do esporte nas categorias de base e no alto rendimento?

O “Vilas Olímpicas nas Vilas” prevê a construção ou melhoramento de estruturas esportivas e acompanhamento técnico para crianças e jovens de vilas, favelas e aglomerados. Serão equipamentos públicos, nas regionais, com campo de futebol, quadra, pista de atletismo e piscina, com foco no lazer e também na profissionalização. A prefeitura implementará os equipamentos diretamente ou por meio de parcerias. E vamos tirar do papel o Bolsa Atleta.

3 - A Secretaria de Esportes ficará a cargo de uma pessoa com forte conhecimento no assunto ou será utilizada em barganha política para algum partido de sua coligação?

Nunca pautei minha atuação pública por barganhas de nenhuma espécie.

4 - Como avalia a importância da Educação Física nos Ensinos Fundamental e Médio?

Em Belo Horizonte, a Educação Física no Ensino Fundamental e Médio, felizmente, virou lei e será colocada em prática a partir de 2017, inclusive com a realização dos jogos escolares. Queremos também a Educação Física no ensino infantil. Vamos realizar estudos para essa implantação.

5 - É possível a Prefeitura ajudar de alguma forma, administrativamente ou esportivamente os grandes clubes de Minas Gerais? 

A Prefeitura de Belo Horizonte tem outras atribuições e prioridades, mas vejo com bons olhos a possibilidade de expandir as parcerias com os clubes da capital, para proporcionar o acesso de nossas crianças e jovens carentes às estruturas esportivas mantidas pelos clubes. E queremos que os clubes sejam parceiros na formação de atletas no programa “Vilas Olímpicas nas Vilas”.

6 - Como vê a questão do Mineirão ser administrado em uma Parceria Público-Privada? Acha que a Prefeitura poderia contribuir de alguma forma para a melhoria do estádio?

O Mineirão, que pertence ao governo de Estado, foi reformado para a Copa do Mundo  de 2014 seguindo padrões internacionais de qualidade. A obra foi concluída rigorosamente dentro do prazo e dos custos previstos graças ao modelo de PPP, que foi inspirado em exemplos bem-sucedidos de países como a Alemanha, Holanda, França e Cingapura. Para manter o bom uso do Mineirão, não podemos nos esquecer de seu entorno. Vamos garantir a manutenção adequada desse entorno para as pessoas que frequentam o local, manter a limpeza, a segurança e melhorar a gestão do trânsito em dia de casa cheia.

7 - Sua identificação com o Atlético-MG é muito forte. Crê que isto pode influenciar de que forma a avaliação do eleitorado (tanto atleticano, quanto quem torce por outros clubes)?

A eleição é para escolher o novo prefeito de Belo Horizonte. Na hora do voto, o que pesa é a experiência, a capacidade e as propostas de cada candidato. Na vida pública sempre trabalhei para todos, independentemente do clube de cada um. Respeito as diferenças e acredito no diálogo. Nossa campanha tem se pautado pela discussão de propostas para fazer de Belo Horizonte uma cidade melhor para as pessoas. Isso é o que está em jogo.