Kalil

Alexandre Kalil é candidato a prefeito de Belo Horizonte na coligação "Pra BH Funcionar" (Foto: Reprodução)

Thiago Fernandes e Vinícius Faustini
28/10/2016
07:05
Belo Horizonte (MG)



No próximo domingo, a população de Belo Horizonte vai às urnas para definir, entre dois candidatos ligados ao esporte, quem será o novo prefeito. Às vésperas do fim do Segundo Turno, o LANCE! traz, em entrevista exclusiva, os planos que o candidato Alexandre Kalil (PHS) tem para o esporte na cidade para os próximos quatro anos.

1 - Qual papel o esporte terá em sua gestão, caso seja eleito?

Olha, nós vamos incrementar o esporte para a meninada. Porque o esporte é um jeito de integrar a criança, de ocupar a criança, de tirar os jovens, os adolescentes e as crianças do caminho que seja errado. Vamos incentivar a prática do esporte na infância nas escolas públicas, Umeis (Unidades Municipais de Educação Infantil) e creches. Vamos buscar melhorar e manter em boas condições e em pleno funcionamento as quadras e campos de futebol de várzea.

2 - Quais são seus planos para o desenvolvimento do esporte nas categorias de base e no alto rendimento?

Acho que quem desenvolve o esporte de alto rendimento são os clubes. Esse não é um papel do poder púbico, não é papel da Prefeitura.

3 - A Secretaria de Esportes ficará a cargo de uma pessoa com forte conhecimento no assunto ou será utilizada em barganha política para algum partido de sua coligação?

Eu não faço barganha política. O secretário de Esportes será um homem ligado ao esporte, obviamente, como todo o secretariado do meu governo.

4 - Como avalia a importância da Educação Física nos Ensinos Fundamental e Médio?

Eu acho a Educação Física muito importante. É por isso que nós estamos querendo conveniar com os clubes que passam o dia ociosos, os dias de semana ociosos e têm profissionais que podem ajudar. Nós vamos tentar fazer um convênio com esses clubes, que são 130 espalhados por várias regiões da cidade.


5 - É possível a Prefeitura ajudar de alguma forma, administrativamente ou esportivamente os grandes clubes de Minas Gerais?

Não, não temos a menor condição de ajudar. O poder público nunca ajudou clube nenhum e não é papel do poder público ajudar clube de futebol.

6 - Como vê a questão do Mineirão ser administrado em uma Parceria Público-Privada? Acha que a Prefeitura poderia contribuir de alguma forma para a melhoria do estádio?


Não. Isso não é uma briga da Prefeitura. Isso aí foi uma trapalhada do governo do estado e dos clubes de futebol.

7 - Sua identificação com o Atlético-MG é muito forte. Crê que isto pode influenciar de que forma a avaliação do eleitorado (tanto atleticano, quanto quem torce por outros clubes)?

Não sei. Tudo que eu falei sobre o Cruzeiro e Atlético, não sei se vai influenciar. Eu disse e repito: a última coisa que você pergunta quando vê um rapaz deitado no chão é para que time ele torce.