Manoel Flores é diretor de competições da CBF (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

América-MG x Palmeiras foi em Londrina (Foto: Cesar Greco/Palmeiras) 

LANCE!
11/10/2016
18:12
Rio de Janeiro (RJ)

A CBF resolveu acabar com as vendas de mando de campo na reta final do Brasileirão. O veto para o exercício do mando fora do estado de origem vale para as últimas cinco rodadas do campeonato nacional. A medida atinge as Séries A e B.

A posição da CBF aparece depois da reclamação por conta da atitude do América-MG, que levou para Londrina o jogo contra o líder Palmeiras. O resultado? Um Estádio do Café lotado de palmeirenses.

Segundo o ofício da CBF enviado a clubes e federações, a exceção será quando alguma punição imposta pelo STJD terá que ser cumprida ou o estádio do clube em questão não cumpra os requisitos previstos no Regulamento Geral de Competições.

– Por ser um momento decisivo da competição, agimos para evitar, na reta final da competição, distorções técnicas na definição das posições cruciais, no topo e na parte de baixo da tabela. Na Série A, a decisão engloba as rodadas que, inclusive, ainda não tiveram a tabela desmembrada – afirmou Manoel Flores, diretor de competições da CBF.

Para justificar, a CBF citou o Artigo 1º do Regulamento Geral das Competições, que cita "princípios de integridade, estabilidade e segurança desportiva dos campeonato".

O Atlético-MG foi quem mais "chiou" por conta das vendas de mando, sobretudo porque, além do Palmeiras, o Flamengo já se beneficiou com isso. O jogo contra o Santos, por exemplo, foi em Cuiabá, com mando do Peixe, e encheu de rubro-negros.