Botafogo x Santa Cruz

Sassá festeja o primeiro gol do Botafogo sobre o Santa Cruz, em Juiz de Fora (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

CARLOS ALBERTO VIEIRA
03/07/2016
17:58
Rio de Janeiro

O Botafogo enfrentou neste domingo no Mário Helênio, em Juiz de Fora,  com péssimo gramado, um Santa Cruz despedaçado, com quatro derrotas seguidas e várias alterações na equipe. Saiu na frente no primeiro minuto com um gol de Sassá, ampliou com Neilton antes dos 20 minutos. Desesperado, o treinador pernambucano Milton Mendes começou a fazer substituições ainda na primeira etapa, voltando do intervalo as três mudanças. Goleada à vista? Nada disso. Depois de levar o gol de João Paulo aos três minutos do segundo tempo, o Botafogo - que deitou e rolou nos primeiros 45 minutos - se perdeu, viveu momentos de branco e só não levou o empate por sorte, pois Arthur e Keno perderam gols feitos.

No fim das contas, o Botafogo celebrou a vitória por 2 a 1 que o levou aos 15 pontos e o tirou da zona de rebaixamento. Mas ficou claro que o time ainda está muito irregular, complicando uma partida fácil, contra o vice-lanterna Santa Cruz, que segue com 11 pontos.

O JOGO

O treinador Ricardo Gomes definiu a escalação do Botafogo com Rodrigo Pimpão desde o início,Fernandes no banco e o esquema 4-3-3. Mas a escalação mais surpreendente foi do Santinha, que vinha de quatro derrotas: Léo Moura na criação, Vitor na lateral direita e a zaga com o estreante Walter Guimarães (da base e o quarto reserva!), além de entrar não com o seu tradicional 4-3-3, mas apenas com Grafite na frente, com Keno e Arthur começando no banco.

Muita mudança significa desentrosamento e o Botafogo aproveitou logo no primeiro minuto, quando Camilo tocou para Neilton e este lançou Sassá, que entrou no meio da marcação da defesa, num erro de Walter Guimarães,  para fazer 1 a 0.

O gol deu tranquilidade ao Botafogo, que foi aproveitando os espaços que a desarrumada marcação pernambucana cedia. Aos 17, Camilo encontrou Neilton bem posicionado na área. Ele tirou a marcação do lateral Roberto e fez o segundo gol. Fácil demais.

Bruno Silva quase fez um golaço num  voleio de fora da área de Bruno Silva que Tiago Cardoso voou para salvar.  Com o Santa Cruz perdido, desentrosado, pior do que apresentou na derrota por 3 a 0 para a Ponte em casa na rodada passada,  o treinador Milton Mendes ainda no primeiro tempo resolveu recolocar Léo Moura na lateral, sacando Vitor e apostando o ex-Flamengo Arthur Maia na criação.   

Mas o Botafogo era muito melhor. Tocando bem a bola e sempre rondando a área, esteve muito próximo do terceiro gol.

Mas aí veio o segundo tempo. O Botafogo voltou com Luis Henrique no lugar de Sassá e o treinador do Santa foi para o tudo ou nada, fazendo suas duas últimas substituições ainda no intervalo, sacando os dois homens mais adiantados - Fernando Gabriel e o astro Grafite. Ousadia ou suicídio?  

Bem, aos dois minutos Keno fez uma jogada sensacional pela esquerda e cruzou na medida para João Paulo aparecer em velocidade e tocar de primeira, diminuindo o placar e começando a mostrar um pouco mais de presença em campo, enquanto o Botafogo - em razão da queda de produção de Camilo que se machucou após um choque e acabou sendo substituído - não conseguiu impor-se ofensivamente.

Com o jogo equilibrado, poderia dar qualquer coisa. O Botafogo  ampliar - como quase ocorreu numa cabeçada de  Luis Henrique - ou o Santa empatar no abafa, o que teve tudo para conseguir quando Arthur ficou com uma bola espirrada na pequena área, mas chutou em cima de Diogo Barbosa, que salvou em cima da linha.

Apesar do sufoco, os mais de cinco mil torcedores saíram felizes. Três pontos no bolso e a alegria extra de comemorar os quatro gols do Corinthians  sobre o 
arquirrival Flamengo. Mas ela sabe: há muito o que melhorar e o Botafogo, se quiser alguma coisa, tem de ser o time do primeiro tempo. Jamais o da etapa final.


BOTAFOGO 2 x 1 SANTA CRUZ
SÉRIE A DO BRASILEIRO - 13ª Rodada
DATA E HORÁRIO:
3/7/2016 - 16h (de Brasília)
LOCAL: Estádio Mário Helênio, Juiz de Fora (MG)
RENDA E PÚBLICO: R$ 126.920,00/ 5.033 pagantes

ÁRBITRO: Bráulio da Silva Machado (SC)
AUXILIARES: Rodrigo Correia (RJ) e Clóvis Amaral (PE)
CARTÕES AMARELOS:  Bruno Silva (BOT), Vitor, Marcílio e Leandrinho (STA)
CARTÕES VERMELHOS: - 
GOLS: Sassá, 1'/1ºT (1-0), Neilton, 18'/1ºT (2-0), João Paulo, 3'/2°T (2-1)

BOTAFOGO: Sidão; Luís Ricardo, Renan Fonseca, Emerson Santos e Diogo Barbosa; Bruno Silva, Rodrigo Lindoso e Camilo (Fernandes, 20'/2ºT); Neilton, Pimpão (Gervásio Núñez, 38'/2ºT) e Sassá (Luis Henrique, Intervalo).
TEC: Ricardo Gomes

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Vitor (Arthur Maia, 37'/1°T), Walter Guimarães, Danny Morais e Roberto; Uillian Correia, Marcílio,Léo Moura, João Paulo e Fernando Gabriel (Leandrinho, Intervalo); Grafite (Keno, Intervalo) TEC: Milton Mendes