MOBILE Eduardo Bandeira

Bandeira de Mello, presidente do Flamengo, soltou o verbo (Divulgação)

LANCE!
15/10/2016
17:55
Rio de Janeiro (RJ)

A polêmica com a arbitragem do Fla x Flu de Volta Redonda segue rendendo. Depois do Palmeiras se manifestar e classificar a confusão como 'escândalo', o Rubro-Negro deu o contra-ataque. Em comunicado divulgado à imprensa, o presidente do clube da Gávea, Eduardo Bandeira de Mello, soltou o verbo.

- Isso só pode ser fruto de desespero. O Flamengo está incomodando. O Flamengo teve uma vitória límpida e cristalina contra o Fluminense. O lance polêmico foi esclarecido. Cada um deve cuidar de si e tentar ganhar seus jogos dentro de campo, não ficar com essa choradeira absurda - disparou.

Antes, em entrevista à ESPN, o mandatário rubro-negro já tinha criticado a postura dos presidentes de Palmeiras e Fluminense, Paulo Nobre e Peter Peter Siemsen. Neste comunicado, porém, Bandeira foi além. Ele deu a entender que o Flamengo vem sendo prejudicado pela arbitragem.

- O que pode atrapalhar o andamento (do campeonato) são os erros de arbitragem que têm acontecido sistematicamente contra o Flamengo. Quando acontece ninguém se preocupa tanto. Não vi o presidente do Palmeiras tão preocupado com a lisura do campeonato quando o Márcio Araújo foi expulso no primeiro tempo injustamente - comentou o mandatário, referindo-se ao duelo contra o Palmeiras, no segundo turno.

DIRIGENTE FALA EM SOBERBA

O diretor executivo de futebol do Flamengo, Rodrigo Caetano, também fez críticas à postura do Palmeiras. Em entrevista ao portal 'Uol', o dirigente lamentou a posição de Alexandre Mattos, diretor executivo do Palmeiras.

- Não existe achar que só o Palmeiras trabalha, que só eles têm competência para estar lá. Foi uma infelicidade esse tipo de comentário. Ele pode julgar o trabalho do clube dele, não dos demais. Temos uma equipe qualificada, desde comissão a atletas. Não pode qualificar que só o Palmeiras está trabalhando e jogando futebol. Ele se utilizou de uma soberba que me surpreendeu e eu lamento muito - disse.