Leonardo Condé, técnico do Bragantino, prevê vitória, fora de casa, nesta quarta (Foto: Reprodução/ Facebook Bragantino)

Leonardo Condé (à direita), lidera o Bragantino nesta quarta, diante do Mirassol  (Foto: Reprodução/ Facebook Bragantino)

Melissa Gargalis
24/02/2016
13:06
São Paulo (SP)

O empate diante da Portuguesa no último domingo e a combinação de resultados dos jogos da sétima rodada do Campeonato Paulista da Série A2, renderam ao Bragantino a liderança da competição. O alvinegro, comandado pelo técnico Leonardo Condé, faz um bom início de temporada, com quatro vitórias e três empates.

O treinador do Braga, diz acreditar em equilíbrio de setores para obter bons resultados. Aos 37 anos, ele já acumula experiência como técnico e vislumbra um futuro bastante promissor no futebol brasileiro, a partir das oportunidades que surgirão, conforme a renovação do mercado de treinadores no país.

- Acredito que é um processo normal de ter a renovação, as vezes ela acontece de uma forma mais rápida, em alguns momentos de uma forma mais gradativa, mas ela acontece. Assim como em outros momentos teve essa renovação de treinadores, agora o Brasil está passando por isso novamente, então é ter calma, continuar consolidando o trabalho, afinal o mercado acompanha e eu tenho que permanecer realizando boas campanhas para que tenha a oportunidade de assumir uma equipe de ponta - disse Condé, em entrevista ao LANCE!.

Entretanto, é difícil imaginar grandes clubes de futebol sendo comandados por técnicos com 40 anos ou menos. Basta termos como referência o principal campeonato do país, o Brasileirão. Dos 20 times que integraram a competição na última temporada, apenas Grêmio e Cruzeiro bancaram treinadores considerados jovens. Róger Machado, do tricolor gaúcho, assumiu a equipe com 40 anos, enquanto Deivid, do time mineiro, com 36 anos, foi promovido após a saída de Mano Menezes, porém já em dezembro de 2015.

- Independente da idade, o importante é aquilo que você vivenciou na carreira, apesar de jovem já estou um bom tempo militando como treinador de futebol, então já passei por várias experiências em categorias de base de times grandes, e em várias equipes de interior, não só em Minas, também, posso acrescentar no currículo a passagem no Rio, Nordeste e agora São Paulo – explicou.

O treinador, na temporada passada, foi indicado para prêmios importantes, como técnico revelação do Campeonato Brasileiro, após ter alcançado o vice-Campeonato Mineiro com a Caldense. No mesmo ano, chegou a brigar pelo acesso à Primeira Divisão do Brasileiro, com o Sampaio Corrêa-MA. Antes disso, iniciou a carreira na base do Tupi-MG, e chegou a comandar o juvenil e o juniores do América-MG e também do Atlético-MG, este último, entre os anos de 2006 a 2009, quando, enfim, ingressou para dirigir equipes profissionais.

À frente do Bragantino e pela primeira vez disputando o Paulista, o treinador analisa como a competição está se desenvolvendo. Sabendo da qualidade dos adversários, o técnico não arrisca apontar um favorito.

- A competição até aqui vem se mostrando bastante equilibrada. É difícil apontar o principal rival, mas pela tradição, o Guarani, a Portuguesa, o São Caetano, tem algumas equipes que surgiram ai como surpresa, o caso do Batatais, que vem realizando uma boa campanha. Mas vejo dois blocos, talvez de dez equipes ainda brigando pela classificação entre os oito e dez brigando contra rebaixamento. É claro que a partir do momento que classificar entre os oito, zera tudo e é mata-mata, então não dá, não tem como apontar hoje um grande rival - analisou.

Apesar do equilíbrio na Série A2 do Paulista, Condé pretende defender a invencibilidade de sua equipe no Estadual, continuar na liderança e conquistar o tão sonhado acesso à divisão de elite. Se conseguir atingir o objetivo, o mineiro poderá seguir os passos de nomes como Vanderlei Luxemburgo e Carlos Alberto Parreira, que tiveram o início de suas carreiras atreladas ao clube alvinegro.

- Seria fantástico, realmente são dois dos maiores treinadores do futebol brasileiro, se eu conseguir alcançar 20 por cento, sei lá, 30 por cento, do que eles alcançaram na carreira já seria algo fantástico, mas vamos devagar, vamos focar neste momento, procurar realizar um bom trabalho, como outros tantos profissionais que já passaram aqui, eu espero também, com bastante humildade, com bastante trabalho, realizar uma campanha que possa alegrar e dar satisfação aos torcedores do Bragantino – contou.

Líder da Segunda Divisão do Paulistão, o Bragantino volta a campo nesta quarta-feira. A equipe de Leonardo Condé enfrentará o Mirassol, no Estádio Municipal de Mirassol, às 20h30, pela oitava rodada da competição. O treinador prevê um duelo equilibrado.

Espero mais um jogo difícil e equilibrado, o Mirassol formou uma boa equipe, tem um bom treinador, alguns jogadores experiente, então tem tudo para ser um jogo muito equilibrado, mas o Bragantino vai procurar, mesmo jogando fora de casa, se impor, jogar uma boa partida e buscar mais um bom resultado - concluiu.