(

Carli assumiu o posto de "Xerife" do Botafogo neste ano (Foto: Vitor Silva/SS PRESS/ Botafogo)

Vinícius Britto
24/05/2016
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

Nessa gangorra que é o 2016 do Botafogo até então, a defesa segue como o ponto forte dos comandados de Ricardo Gomes. Enquanto o ataque passa por maus bocados e os jogadores da frente são criticados pelo número grande de chances desperdiçadas - vide o jogo com o Sport - a zaga mantém o nível de boas exibições, independente de quem esteja em campo, e se fortalece para a sequência do Glorioso dentro do Brasileirão.

No domingo, Carli e Emerson Silva foram os escolhidos para iniciar a partida na Ilha do Retiro. Ambos estiveram bem e demonstraram estar entrosados. Quando precisou - o argentino acabou sentindo a coxa - o outro Emerson - cria da base alvinegra - entrou e substituiu à altura o companheiro. Essa variedade de opções foram valorizadas pelo técnico Ricardo Gomes:

– Por acaso, o substituto (do Carli) é o Emerson Santos, que era titular a pouco tempo. Temos um elenco e opções na defesa – disse o comandante ainda na Ilha do Retiro.

Além de ser um dos setores de maior experiência da equipe - média de 27 anos - a defesa alvinegra segue mantendo um aproveitamento impressionante na temporada. Dificilmente a zaga do Botafogo é vazada duas vezes. A última e única vez que isto aconteceu foi no dia 2 de abril – 51 dias atrás – quando o Botafogo empatou em 2 a 2 o clássico com o Flamengo.

Nesta disputa saudável entre Carli, Emerson e Emerson Silva, a tendência é que os dois últimos sejam os titulares no jogo contra o Atlético-PR em Juiz de Fora. Carli sentiu o músculo posterior da coxa esquerda em Recife e será examinado hoje. Com o aproveitamento do ataque e a escassez de gols da equipe, o sistema defensivo é o triunfo do Botafogo para um horizonte melhor na frente.

Lesões provocam rodízio, Carli assume posto de líder e Renan perde espaço

Além do desfalque técnico, o Botafogo também perde um de seus líderes sem Carli. No jogo contra Sport, o argentino comprovou estar com moral no clube foi o capitão da equipe em Pernambuco. Como um dos mais experientes do plantel - 29 anos - Carli tem sido sinônimo de liderança enquanto o capitão Jefferson se ausenta por conta de cirurgia que o deixará afastado dos gramados por volta de três meses. No decorrer do jogo, foi possível ver o capitão com uma postura bem atuante, sempre cobrando a arbitragem e passando conselho para os outros jogadores. O argentino foi bem na partida e se destacou por ter ganhado quase todas no alto.

Além do bom momento vivido pelos três, que aumenta ainda mais a concorrência, o fator lesão tem sido primordial para determinar quem joga. Desde o começo do ano, dificilmente Ricardo Gomes tem contado com ambos em boas condições. Carli voltou a sentir e pode, pela terceira vez, ser desfalque por lesão. Emerson já esteve fora de combate duas vezes. Somente Emerson Silva ainda não se lesionou neste ano.

Enquanto os três zagueiros vão se destacando e revezando na equipe, Renan Fonseca acabou se tornando a quarta opção para o técnico. Um dos remanescentes de 2015, ele tem sido utilizado em jogos de menor porte ou em partidas que não se tem mais opções para a zaga. A prova disto foi a preferência de Ricardo Gomes pela entrada de Emerson no jogo em Recife, no domingo. O zagueiro não vendo sendo unanimidade e andou recebendo críticas da torcida nos últimos jogos do Alvinegro em que foi titular da equipe.