Botafogo

Carro da polícia e seguranças particulares: a sexta-feira em General Severiano (Foto: Divulgação)

Vinícius Britto
02/09/2016
16:45
Rio de Janeiro (RJ)

Depois de ser goleado pelo Cruzeiro, por 5 a 2, dentro de sua Arena, o Botafogo se reapresentou em General Severiano. Com segurança reforçada e reunião interna, tanto entre os jogadores e quanto entre a diretoria e o técnico Jair Ventura, que, depois, comandou atividade técnica dos reservas na sede.

Além de quatro seguranças particulares contratados pelo clube na porta da sede, um carro da Polícia Militar ficou do lado de fora, vigiando caso alguém decidisse protestar por conta do resultado negativo da última quinta-feira.

O clube buscou se precaver para que não pudesse acontecer outro episódio de cobrança e invasão da torcida, como o do início de junho, quando uma organizada pulou a catraca da entrada e cobrou os jogadores no gramado.

Dentro do clube, antes do treino, a alta cúpula da diretoria alvinegra se reuniu e discutiu alguns pontos após a goleada sofrida na última quinta. Estiveram presentes o presidente Carlos Eduardo Pereira, o gerente de futebol Antônio Lopes, o vice-presidente de futebol, Cacá Azeredo, e o técnico Jair Ventura.

Depois, o comandante reuniu todo o elenco no centro do gramado - até mesmo os jogadores titulares que já estavam liberados, por terem feito o treino regenerativo antes - e teve uma conversa de cerca de dez minutos com eles.

A atividade foi marcada por um treino em campo reduzido para os reservas. O ponto de destaque foi a presença do boliviano Lizio. Ele está recuperado de cirurgia e treinou com bola. O próximo compromisso do Botafogo será contra o Grêmio, neste domingo, na Arena da Ilha do Governador, pelo Brasileirão.