Felippe Rocha
13/10/2016
06:00
Rio de Janeiro (RJ)

Faz pouco mais de três anos que Vitinho deixou o Botafogo. Vendido ao CSKA, da Rússia, voltou ao Brasil pelo Internacional e, na noite desta quarta, o meia-atacante reencontrou a torcida alvinegra. Na Arena da Ilha, ele teve quatro chances de gol, mas a pontaria não esteve afiada; os torcedores também não lhe pouparam: foram vaias do início ao fim da partida. Ciente disso, ele desabafou, lembrando o processo da transferência para a Europa, aos 19 anos.

- O que eu fiz aqui... Quando eu saí, aconteceram coisas que, se eu falar, ninguém vai acreditar - disparou.

No ano de 2013, o Botafogo brigava pelo título, garantiria vaga na Taça Libertadores e chegaria às quartas de final da Copa do Brasil. Xodó do time comandado por Seedorf, ele declarou, à época, em redes sociais, que acreditava no grupo, e teve o carinho mantido por boa parte dos alvinegros, naquele momento. As críticas ficaram com a diretoria, acusada de sem ambição de títulos.

O valor da venda foi histórico: R$ 31,1 milhões da época. O equivalente, daquele momento econômico, pelos 10 milhões de euros da multa rescisória do atleta. Outros jogadores, como Márcio Azevedo, Elkeson e Fellype Gabriel foram negociados na mesma temporada pela gestão de Mauricio Assumpção, que sofria com as penhoras - o clube estava fora do Ato Trabalhista e convivia com uma rotina de meses de salários atrasados.

Vitinho está no Internacional deste o ano passado. Neste Brasileirão, vem sendo o principal nome do ataque na luta contra o rebaixamento colorado. Contra o Glorioso, a melhor chance foi dele, mas parou no goleiro Sidão. Pela equipe gaúcha, à qual está emprestado pelo clube russo, ele soma 87 partidas e 37 gols marcados.