Ponte Preta x Botafogo (Foto:Ale Cabral/LANCE!Press)

Neilton fez muito pouco na partida de quinta-feira, no Estádio Moisés Lucarelli (Foto:Ale Cabral/LANCE!Press)

Felippe Rocha
06/08/2016
11:00
Rio de Janeiro (RJ)

A derrota do Botafogo para a Ponte Preta, no calendário, não é nenhum absurdo. O problema é a forma como o revés em Campinas foi desenhado. A equipe esteve muito abaixo do necessário no que diz respeito à qualidade técnica. Praticamente ninguém esteve inspirado.

E quando ninguém está num bom dia, a variação tática precisa funcionar. Não foi o que aconteceu. Ao colocar Leandrinho no jogo, Ricardo Gomes fez Camilo virar ponta esquerda, transformando o time quase num 4-3-3. O Glorioso foi praticamente improdutivo. O que a equipe criou, não finalizou no gol.


É pouco. É ínfimo. Talvez a opção por Fernandes, e não Dudu Cearense, no lugar de Rodrigo Lindoso, não tenha sido das mais felizes do treinador alvinegro. Porém, o meia que começou como titular teria mais fôlego para acompanhar a velocidade do atacante Rhayner.
Menos mal que o Botafogo tem se dado bem nos confrontos diretos e tem feito jogo duro também com os times da parte de cima da tabela. As equipes medianas é que vão incomodando, embora o grande adversário do Glorioso seja ele mesmo. Quando o dia é noite, até Canales precisa sair do jogo.

Desde que arrancou do fundo da tabela - estávamos bem no início do campeonato - o time parece ter encontrado um norte. Porém, a paz reinante pode dar lugar a dias bem nebulosos, se a rodada não ajudar. Até porque, os próximos jogos são bastante complicados.