Jair Ventura

O técnico Jair Ventura está no comando do Botafogo desde agosto do ano passado (Foto: Wagner Assis/Eleven)

Felippe Rocha e Rafael Bortoloti
07/10/2017
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Estabelecidos há mais de um ano, Mano Menezes e Jair Ventura são dois dos três técnicos da primeira divisão do Campeonato Brasileiro há mais tempo no comando de suas respectivas equipes - o terceiro é Renato Gaúcho. Mas enquanto o campeão da Copa do Brasil pode não permanecer no Cruzeiro em 2018, após a eleição no clube mineiro, no Botafogo, mudança alguma deve ocorrer. O treinador alvinegro, de contrato até 2018, tem a permanência garantida também por Marcelo Guimarães, candidato da chapa de oposição na eleição do clube, mês que vem.

- Não tenha a menor dúvida. É prata da casa, gosto muito da atitude, da postura dele. Adoraria, caso eleito, de tê-lo entre nós, mas precisamos dar mais elementos a ele. Temos um time de guerreiros, que nos dá orgulho, mas temos que qualificar mais o elenco. Nós estamos no limite, nossa torcida está cada vez mais impaciente. Estamos caminhando para as bodas de prata sem conquistar um título de expressão, então é preciso que se invista pesado no futebol - entende o candidato.

Nelson Muffarej, candidato a presidente pela chapa da situação, é vice-presidente geral no atual mandato. Ele reforça os elogios ao treinador que comanda o Glorioso desde agosto do ano passado.

- Com relação ao Jair, a manutenção não é novidade. Fico contente com o candidato da oposição reconhecer nosso trabalho, pois quando ele elogia o Jair, reconhece nosso trabalho, de certa forma. O Jair é uma pessoa de um trabalho altamente digno. Esperamos que ele entenda e queira continuar conosco durante muitos e muitos. Ele sabe disso, já falei para ele - afirma Mufarrej.

A eleição do Botafogo teve chapas homologadas no fim do mês passado, e o pleito será disputado no dia 25 de novembro. Apesar de um início discreto por parte dos dois candidatos, aos poucos as campanhas pelo próximo triênio vão ganhando força e integrantes das chapas vão trocando farpas públicas.

Nesta semana, por exemplo, o atual presidente, Carlos Eduardo Pereira, afirmou que a chapa opositora é "envergonhada". Sem deixar por menos, Marcelo Guimarães, no lançamento de sua chapa, acusou a gestão atual de prejudicar o futuro ao antecipar receitas.

O processo eleitoral, enfim, começou.