Botafogo x Fluminense (Foto: Paulo Sergio/LANCE!Press)

Neilton e Camilo, dois dos responsáveis pela ascensão do Botafogo no ano (Foto: Paulo Sergio/LANCE!Press)

Felippe Rocha e Vinícius Britto
09/09/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Os 32 pontos do Botafogo no Campeonato Brasileiro, atingidos com a vitória sobre o Fluminense, no último domingo, fincaram a equipe dentro da zona intermediária da tabela. São cinco pontos de vantagem em relação à zona do rebaixamento, onde a equipe passou boa parte do primeiro turno. E oito pontos de distância para o G4 e a vaga na Libertadores. Os jogadores já se permitem sonhar com voos mais altos, enquanto o treinador tenta conter a euforia. A arrancada é evidente. Qual é a realidade do Glorioso na competição?

Com Jair Ventura no cargo de técnico, são quatro vitórias em cinco partidas pelo Brasileirão: 12 pontos de 15 disputados. Rendimento igual, por exemplo, ao do Flamengo, no mesmo período. Ambos têm 80%, abaixo do líder Palmeiras, que somou 13 pontos.

Ventura não quer empolgação com os bons resultados e fala em operários da bola quando cita o desempenho do Alvinegro, principalmente na marcação.

– Enquanto nós não fizermos os 46 ou 47 pontos, não vai mudar nada. Nosso time é guerreiro, sem a bola é time de operários. Por isso temos problemas com lesões, nosso time se entrega 110%. Pretendemos ir nos distanciando mais, mas não pensar em G4. Quando peguei, o time estava na zona. Vamos aos poucos – alertou o comandante da equipe, depois da vitória no clássico.

De fato, entre as equipes que estavam na zona de rebaixamento ou nos arredores, Coritiba e Cruzeiro também estão em crescimento. Inter e São Paulo possuem elencos qualificados o suficiente para, antes do fim do Brasileiro já terem escapado do perigo. Contudo, as vitórias recentes do Alvinegro, e contundente como foram, fora de casa, diante do São Paulo, e, em casa, sobre o Grêmio, geram perspectiva otimista.

– As nossas dedicação e empenho neste clássico contra o Fluminense provam que o Botafogo pode brigar não só contra o rebaixamento. Podemos estar na primeira parte da tabela. Temos treinador, equipe e torcida. Essa crescente prova a força do nosso elenco – analisa Neilton, autor do gol da última vitória.

Tudo vai depender do rendimento do time nas próximas 15 rodadas.

Retrospecto na Arena Botafogo permite sonhar alto
​O Glorioso ainda tem sete jogos por disputar na sua Arena neste Brasileirão. Os adversários serão Santos, Corinthians, Internacional, Atlético-MG, Coritiba, Chapecoense e Ponte Preta. Se conseguisse vencer todos eles - uma meta bastante ousada - o time já garantiria 53 pontos. Atualmente, o aproveitamento dentro da Arena da Ilha do Governador, pelo Brasileiro, é de 83%.

Se o clube conseguir pontuar com maior eficiência fora de seus domínios, poderia chegar na média dos 60 pontos, que costuma ser a média mínima para que um time se classifique para a Libertadores. No ano passado, o São Paulo conseguiu a vaga com 62 pontos no Brasileiro.

Dentro da Ilha, o Glorioso desbancou times da parte de cima - como Palmeiras e Grêmio - e mantém excelentes números no Brasileiro. Mantendo os números e conseguindo pontos fora, o time poderia espantar de vez o fantasma do rebaixamento. E quem sabe brigar lá em cima.