Felippe Rocha
27/05/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Foi com muito mais sofrimento do que o torcedor gostaria, mas a vitória do Botafogo sobre o Atlético-PR foi duplamente positiva. Além da tranquilidade pelo primeiro triunfo no Campeonato Brasileiro, o ataque, tão contestado durante todo o ano, mostrou força. Foram dos pés de Ribamar e Neilton os gols alvinegros na última quarta. Se o famoso "último terço do campo" preocupava, eles trataram de tranquilizar os críticos.

- São dois grandes atacantes. Ainda vão nos ajudar muito. Tivemos muita raça e vontade. Isso fez a diferença. Estamos trabalhando para melhorar a cada jogo - valoriza o técnico Ricardo Gomes.

Desde o início do ano, a diretoria e comissão técnica buscam um centroavante experiente e Gustavo Canales, de 34 anos, foi anunciado pouco antes da partida contra o Furacão. Era um dos antigos desejos, mas ele só poderá estrear, assim como Rodrigo Pimpão, após a abertura da janela internacional de transferências, no dia 20 de junho.


Tanto o jogador brasileiro quanto o chileno chegam com status de titulares da equipe. Enquanto eles não se apresentam e jogam, porém, quem já está no elenco vai mostrando que pode dar conta do recado.
- A gente tem treinado junto bastante. Ele tem me dado orientação, por ser mais experiente, e tem dado certo. A minha cobrança sempre houve, não quero chegar frente a frente com o goleiro e perder o gol - explica Ribamar, de 18 anos, sobre a dupla com Neilton, de 22 anos.

O grupo ainda conta com Luis Henrique, Sassá, Geovane Maranhão e Anderson Aquino para o ataque. Cada um com suas características. Cada um deles querendo aproveitar a chance que tiver para não deixar esta boa impressão recente do ataque alvinegro passar.

A última vitória foi suada e, para tal, o Glorioso precisou dos atacantes. Como costuma precisar.