Kieza - Botafogo

Kieza esteve presente na coletiva desta quarta-feira (Foto: Lazlo Dalfovo)

Lazlo Dalfovo
16/05/2018
19:01
Rio de Janeiro (RJ)

Após quebrar um considerável jejum contra o Fluminense, na última segunda-feira, Kieza concedeu entrevista coletiva nesta quarta, dia da reapresentação do Botafogo, que venceu o Clássico Vovô por 2 a 1 - Rodrigo Lindoso foi o outro responsável por marcar contra o Tricolor. 

Na conversa com jornalistas, na sala de imprensa do Nilton Santos, Kieza externou tranquilidade em relação ao período em que ficou quase três meses sem fazer gols, além de frisar que a concorrência acirrada por Aguirre é "sadia". 

- Sabemos que atacante vive de momentos. Estou acostumado com isso e procuro fazer o meu trabalho para estar bem tranquilo quando as oportunidades chegarem. O Aguirre chegou, é um grande jogador e irá nos ajudar bastante. Pôde estrear e sentir um pouco do nosso jogo.

- Sempre temos que ter concorrência no trabalho, pois é melhor pra não deixar peteca cair. Sempre é bom, sadio, um respeitando o outro - completou o atleta de 31 anos. 

Por fim, Kieza deu uma leve risada quando teve que explicar as cobranças do pai, Carlos, que é torcedor fanático do Glorioso. E não faltou cornetas. 

- Como eu já tinha falado, meu pai é muito chato, me enche muito o saco. Ele falou muito na minha cabeça, falou que eu não posso dar um passe para o lado quando estou na cara do gol, como aconteceu (contra o Audax Italiano, pela Sul-Americana). Estou acostumado... Com ele sendo botafoguense como ele é, tenho que estar - finalizou Kieza, que atuou aberto pelo esquerda contra o Fluminense, com a ausência de Valencia, e se disse confortável no setor. 

Até aqui, Kieza soma quatro gols em 16 partidas pelo Alvinegro, sendo titular em seis oportunidades. Estava sem ir à rede desde o dia 25 de fevereiro. Agora, se prepara para encarar o América-MG, domingo, fora de casa, pelo Brasileiro.