Carlos Eduardo Pereira (Foto: Divulgação/Botafogo)

Carlos Eduardo Pereira, presidente do Botafogo, corre o risco de ter bens penhorados (Foto: Divulgação/Botafogo)

LANCE!
17/11/2015
16:05
Rio de Janeiro (RJ)

O departamento jurídico do Botafogo já se movimenta para evitar que o presidente Carlos Eduardo Pereira e o vice, Nelson Mufarrej, tenham bens penhorados por causa de uma dívida antiga do clube. O motivo é uma ação trabalhistas movida pelo ex-volante Túlio Guerreiro. 

O mandatário alvinegro já foi notificado da decisão. A informação foi divulgada inicialmente pelo site Globoesporte.com. Em contato com a reportagem do LANCE!, o presidente do Botafogo comentou que confia no departamento jurídico do clube e acredita que não será prejudicado. O clube entende que esta é uma tentativa de furar a fila do Ato Trabalhista pago mensalmente pelo Botafogo. Por este acordo, o Glorioso destina R$ 1, 2 milhão por mês para o pagamento de dívidas trabalhistas e não pode sofrer penhoras oriundas de ações movidas antes da assinatura do Ato.

Recentemente, alguns ex-jogadores do Botafogo tiveram vitórias temporárias na Justiça, mas depois tiveram de entrar na fila do Ato Trabalhista, como outros ex-atletas do clube.