icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/08/2015
13:00

O Botafogo vacilou feio, errou muito e foi surpreendido pelo Paysandu, na manhã deste domingo, no Estádio Nilton Santos, pela vigésima rodada da Série B. Os visitantes venceram por 3 a 2, para frustração dos vários botafoguenses que acordaram cedo para ir ao Niltão. Com o resultado negativo, o Glorioso perdeu a ótima oportunidade de voltar à liderança da competição. O Alvinegro chegou a estar perdendo por 2 a 0 e 3 a 1, reagiu, mas não foi o suciente.

O Botafogo começou o jogo na base do abafa, tentando intimidar o Paysandu. Os visitantes, por sua vez, ficavam muito recuados, esperando para sair em contra-ataques. O Glorioso teve boa chance para abrir o placar com Neilton, mas o atacante vacilou e perdeu a oportunidade de colocar o time carioca na frente. Mal sabia ele que este erro custaria caro. Aos 26 minutos, O Alvinegro cometeu erro grave na marcação defensiva e deu brecha para Yago Pikachu ficar cara a cara com Jefferson. O lateral não perdoou e mandou para o fundo da rede: 1 a 0. O resultado já era ruim para os donos da casa, mas a situação ficou ainda pior dois minutos depois. Novamente, a zaga vacilou, desta vez tentando criar um impedimento, e deixou Thiago Martins livre na direita. O defensor fuzilou e ampliou: 2 a 0. 

O resultado inacreditável deixou a torcida alvinegra muito irritada. Para piorar, Neilton e Elvis despediçaram chances claras de gol pouco depois do segundo gol do Papão. Irritados, alguns botafoguenses passaram a vaiar os zagueiros Renan Fonseca e Diego Giaretta. A desvantagem no placar deixou a equipe do Glorioso muito nervosa. Os jogadores passaram a cometer erros básicos e a se precipitar. A primeira etapa foi até os 52 minutos, mas nada do Alvinegro balançar a rede. 

Após o intervalo, a impressão era de que o empate já seria um bom resultado para o Botafogo, tendo em vista a grande desvantagem no placar. Fechado, o Paysandu passou, então, a tocar a bola e gastar o tempo. 

O Botafogo esboçou reação e diminuiu a desvantagem no placar aos 18 minutos, quando Daniel Carvalho chutou com raiva para o fundo da rede após boa assistência de Luis Henrique: 2 a 1. A torcida alvinegra se animou e gritou alto. No entanto, um minuto depois, a zaga alvinegra cochilou de novo, e o Papão não perdoou. Jhonnatan recebeu ótimo lançamento e acertou um belo chute, no ângulo direito de Jefferson: 3 a 1. Após o terceiro gol do Paysandu, o Botafogo seguiu na luta. Ricardo Gomes tirou Neilton e colocou Sassá. A alteração deixou a torcida na bronca. Pela primeira vez desde que assumiu o comando, o treinador alvinegro foi chamado de 'burro'. Curiosamente, o mesmo Sassá diminuiu para 3 a 2. 

O gol animou novamente o Botafogo e inflamou a torcida alvinegra. O time lutou pelo empate e chegou a ter um pênalti marcado, em Luis Henrique, mas a arbitragem anulou o lance alegando impedimento.

No fim, o Botafogo teve de amargar a frustração de um péssimo resultado em casa e ainda a quebra de confiança da torcida. O tal Pacto Alvinegro, tão falado ao longo da semana, durou pouco. Com razão, boa parte da torcida vaiou o time após o revés. A Série B está longe de acabar e, infelizmente, para o Glorioso, ainda parece guardar algumas surpresas desagradáveis como a deste domingo.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 2 X 3 PAYSANDU

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 23/8/2015, às 11h
Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Cristhian Passos Sorence (GO) e Marcio Soares Maciel (GO)
Renda/Público: R$ 610.035,00/ 21.605 pagantes e 23.805 presentes
Cartões Amarelos: Serginho (BOT); Thiago Martins, Jhonnatan e Capanema (Paysandu)
GOLS: Yago Pikachu, aos 26'/1°T (0-1); Thiago Martins, aos 28'/1°T (0-2); Daniel Carvalho, aos 18'/2°T (1-2); Jhonnatan, aos 19'/2°T (1-3); Sassá, aos 36'/2°T (2-3)

Botafogo: Jefferson, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Diego Giaretta e Carleto; Serginho (Camacho, aos 14'/2°T), Willian Arão, Elvis (Diego Jardel, aos 41'/2°T) e Daniel Carvalho; Neilton (Sassá, aos 31'/2°T) e Luis Henrique. Técnico: Ricardo Gomes

Paysandu: Emerson, Yago Pikachu (Augusto Recife, aos 33'/2°T), Pablo, Thiago Martins e João Lucas; Capanema, Jhonnatan, Fahel (Dão, aos 45'/2°T) e Valdívia (Carlinhos, aos 21'/2°T); Aylon e Leandro Cearense. Técnico: Dado Cavalcanti

O Botafogo vacilou feio, errou muito e foi surpreendido pelo Paysandu, na manhã deste domingo, no Estádio Nilton Santos, pela vigésima rodada da Série B. Os visitantes venceram por 3 a 2, para frustração dos vários botafoguenses que acordaram cedo para ir ao Niltão. Com o resultado negativo, o Glorioso perdeu a ótima oportunidade de voltar à liderança da competição. O Alvinegro chegou a estar perdendo por 2 a 0 e 3 a 1, reagiu, mas não foi o suciente.

O Botafogo começou o jogo na base do abafa, tentando intimidar o Paysandu. Os visitantes, por sua vez, ficavam muito recuados, esperando para sair em contra-ataques. O Glorioso teve boa chance para abrir o placar com Neilton, mas o atacante vacilou e perdeu a oportunidade de colocar o time carioca na frente. Mal sabia ele que este erro custaria caro. Aos 26 minutos, O Alvinegro cometeu erro grave na marcação defensiva e deu brecha para Yago Pikachu ficar cara a cara com Jefferson. O lateral não perdoou e mandou para o fundo da rede: 1 a 0. O resultado já era ruim para os donos da casa, mas a situação ficou ainda pior dois minutos depois. Novamente, a zaga vacilou, desta vez tentando criar um impedimento, e deixou Thiago Martins livre na direita. O defensor fuzilou e ampliou: 2 a 0. 

O resultado inacreditável deixou a torcida alvinegra muito irritada. Para piorar, Neilton e Elvis despediçaram chances claras de gol pouco depois do segundo gol do Papão. Irritados, alguns botafoguenses passaram a vaiar os zagueiros Renan Fonseca e Diego Giaretta. A desvantagem no placar deixou a equipe do Glorioso muito nervosa. Os jogadores passaram a cometer erros básicos e a se precipitar. A primeira etapa foi até os 52 minutos, mas nada do Alvinegro balançar a rede. 

Após o intervalo, a impressão era de que o empate já seria um bom resultado para o Botafogo, tendo em vista a grande desvantagem no placar. Fechado, o Paysandu passou, então, a tocar a bola e gastar o tempo. 

O Botafogo esboçou reação e diminuiu a desvantagem no placar aos 18 minutos, quando Daniel Carvalho chutou com raiva para o fundo da rede após boa assistência de Luis Henrique: 2 a 1. A torcida alvinegra se animou e gritou alto. No entanto, um minuto depois, a zaga alvinegra cochilou de novo, e o Papão não perdoou. Jhonnatan recebeu ótimo lançamento e acertou um belo chute, no ângulo direito de Jefferson: 3 a 1. Após o terceiro gol do Paysandu, o Botafogo seguiu na luta. Ricardo Gomes tirou Neilton e colocou Sassá. A alteração deixou a torcida na bronca. Pela primeira vez desde que assumiu o comando, o treinador alvinegro foi chamado de 'burro'. Curiosamente, o mesmo Sassá diminuiu para 3 a 2. 

O gol animou novamente o Botafogo e inflamou a torcida alvinegra. O time lutou pelo empate e chegou a ter um pênalti marcado, em Luis Henrique, mas a arbitragem anulou o lance alegando impedimento.

No fim, o Botafogo teve de amargar a frustração de um péssimo resultado em casa e ainda a quebra de confiança da torcida. O tal Pacto Alvinegro, tão falado ao longo da semana, durou pouco. Com razão, boa parte da torcida vaiou o time após o revés. A Série B está longe de acabar e, infelizmente, para o Glorioso, ainda parece guardar algumas surpresas desagradáveis como a deste domingo.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 2 X 3 PAYSANDU

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 23/8/2015, às 11h
Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Cristhian Passos Sorence (GO) e Marcio Soares Maciel (GO)
Renda/Público: R$ 610.035,00/ 21.605 pagantes e 23.805 presentes
Cartões Amarelos: Serginho (BOT); Thiago Martins, Jhonnatan e Capanema (Paysandu)
GOLS: Yago Pikachu, aos 26'/1°T (0-1); Thiago Martins, aos 28'/1°T (0-2); Daniel Carvalho, aos 18'/2°T (1-2); Jhonnatan, aos 19'/2°T (1-3); Sassá, aos 36'/2°T (2-3)

Botafogo: Jefferson, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Diego Giaretta e Carleto; Serginho (Camacho, aos 14'/2°T), Willian Arão, Elvis (Diego Jardel, aos 41'/2°T) e Daniel Carvalho; Neilton (Sassá, aos 31'/2°T) e Luis Henrique. Técnico: Ricardo Gomes

Paysandu: Emerson, Yago Pikachu (Augusto Recife, aos 33'/2°T), Pablo, Thiago Martins e João Lucas; Capanema, Jhonnatan, Fahel (Dão, aos 45'/2°T) e Valdívia (Carlinhos, aos 21'/2°T); Aylon e Leandro Cearense. Técnico: Dado Cavalcanti