Felippe Rocha
13/01/2017
12:02
Rio de Janeiro (RJ)

Ano passado, com Jefferson lesionado, Sidão foi contratado pelo Botafogo. Porém, ele não ficou para 2017, e como a referência do gol alvinegro seguiria fora de combate, Gatito Fernández foi contratado junto ao Figueirense. Mas e quando Jefferson estiver à disposição? O novo goleiro do clube de General Severiano, apresentado nesta sexta-feira, garante empenho, mas diz entender a situação que poderá viver.

- Sei do Jefferson, que é ídolo e capitão, jogador de seleção. Se eu tiver a chance de participar, vou dar o meu melhor. Passei um pouquinho já (em Santa Catarina) com a situação do Tiago Volpi, depois com o Alex Muralha. Sei como encarar a situação. Aqui também tem grandes goleiros: o Helton Leite e o Saulo. Então vamos disputar a posição - afirmou o goleiro.

Mas é inegável que o paraguaio chegou ao Rio para ser titular. E com a experiência internacional que possui (até Argentina e Holanda), o atleta de 28 anos espera contribuir na principal competição do continente.

- A Taça Libertadores é a competição mais importante da região. O Colo Colo, primeiro adversário, é um time grande lá do Chile, mas o Botafogo é grande aqui do Brasil, e o elenco é praticamente o mesmo. O Olimpia (PAR), se passar, eu conheço também. Temos grandes chances de chegar à fase de grupos e chegar o mais longe possível - entende Gatito.

Gatito Fernández, na verdade, é Roberto Júnior Fernández Torres, e já está há três anos no futebol brasileiro. Antes do Glorioso, disputou duas temporadas no Vitória e uma no Figueirense. O pai dele foi goleiro e, sob a alcunha de Gato, teve grande sucesso no Paraguai, na Colômbia, na Espanha e também no Brasil. O apelido foi herdado naturalmente.