Carlos Eduardo Pereira convocou alvinegros (Foto: Vitor Silva / SSPress)

Carlos Eduardo Pereira completou um ano à frente do Botafogo (Foto: Vitor Silva / SSPress)

Paulo Victor Reis
26/11/2015
09:28
Rio de Janeiro (RJ)

Há exato um ano, Carlos Eduardo Pereira era eleito presidente do Botafogo. O mandatário assumiu em meio a maior crise financeira da história do clube, com salários atrasados e muitas outras dificuldades. Hoje, o Glorioso ainda enfrenta muitos problemas e tem recursos limitados, mas a realidade é outra, com jogadores elogiando a diretoria. A torcida, ainda que exigente na busca por reforços, ficou ao menos satisfeita pelo acesso e o título da Série B.

Procurado pela reportagem do LANCE!, para comentar este primeiro ano de mandato, Carlos Eduardo fez uma autocrítica.

– Acho que o somatório é positivo, sem dúvida alguma. Os grandes objetivos nós alcançamos, tanto no campo esportivo, tanto no gerencial. Foi um ano de muitos vitórias no campo esportivo, com a volta à Série A, vencendo a Taça Guanabara, conquistando a hegemonia no polo aquático e o tricampeonato Carioca de remo. Já no campo administrativo, nós conseguimos resolver o Ato Trabalhista e agora estamos fazendo a adesão ao Profut – disse o presidente, que espera melhorias na busca por investidores.

– O que não conseguimos realizar foi a captação de novas receitas. Mas entendemos o momento de crise que o país atravessa, é muito complicado. Assumimos com as empresas já com os orçamentos fechados. Vamos nos dedicar para melhorar isso – comentou.



BATE-BOLA COM O PRESIDENTE CARLOS EDUARDO PEREIRA:

LANCE!: O que pode dizer sobre as contratações para 2016?

CARLOS EDUARDO PEREIRA: O mapeamento foi todo realizado, das séries A, B e C, e também do Cone Sul, de Uruguai, Argentina, Paraguai e Chile. Estamos em busca do equilíbrio entre qualidade e a nossa capacidade de orçamento, porque os salários continuam muito altos, as pedidas estão preocupantes. O mercado sul-americano apresenta uma boa relação custo-benefício. Estamos bem adiantados nas negociações com o Pedro Larrea, da LDU de Loja, que também faz parte da seleção equatoriana. Esperamos ter tudo resolvido com ele por estes dias, deve ser o nosso primeiro reforço.

Estamos abertos a consultar o mercado. Mas, fundamentalmente, queremos encerrar nossa participação contra o América-MG, para não causar nenhum sobressalto no nosso elenco. Estou esperançoso num Botafogo de qualidade em 2016.

LANCE!: A torcida pode ficar otimista de que o clube vai ter um patrocinador master para 2016?

CARLOS EDUARDO PEREIRA: É sempre bom estar otimista, mas, infelizmente, o momento do país é muito conturbado, difícil. Já tivemos negociações mais avançadas, mas as pessoas simplesmente pediram para segurar, suspender e deixar para um outro momento. O momento do país não está ajudando. As pessoas podem ter certeza que nosso empenho e trabalho é total para a busca destas receitas.

LANCE!: Qual foi o maior desafio deste primeiro ano de mandato?

CARLOS EDUARDO PEREIRA: Sem dúvida alguma, foi ter conquistado o Campeonato Brasileiro. Conseguimos voltar à Série A, mas com o título, uma coisa que eu coloquei como objetivo. Havia a necessidade de uma afirmação do Botafogo como a equipe mais importante que disputava a Série B. Felizmente, conseguimos. Voltamos sem sobressaltos, campeões com antecedência, revelamos bons jogadores e com uma comissão técnica muito sólida para 2016.

LANCE!: A diretoria sonha com voos mais altos em 2016?

CARLOS EDUARDO PEREIRA: O mesmo sistema que montou esta equipe de 2015 vai trabalhar para montar a de 2016. É claro que teremos um orçamento maior, obrigatoriamente para disputar a Série A, mas vamos lutar para ter o melhor time possível dentro deste orçamento. Também sabemos que não necessariamente a quantidade de dinheiro define a posição de uma equipe ao fim do ano. Você tem que ter uma estrutura bem montada, principalmente tem que honrar os compromissos com os atletas, pagar premiações, recolher encargos e ter uma estrutura de treinos para que eles se sintam apoiados. Tudo isso faz um conjunto muito importante.

LANCE!: Quando foi eleito, você não pensava em reeleição. Mantém este pensamento?

CARLOS EDUARDO PEREIRA: Uma das coisas que os consultores têm me dito é que 'Como vocês conseguiram um bom conceito no mercado, nunca diga que você vai sair, porque isso desestimula novos parceiros'. A orientação dos meus consultores é que o assunto vai ser estudado mais adiante. Os investidores gostam de estabilidade. Como o clube encontrou um ponto de maior equilíbrio neste momento, ainda temos dois anos pela frente, temos um bom tempo para avaliar e pensar nas alternativas. Mas também chega uma hora que queremos descansar um pouco (risos).