Arena Botafogo

Arena Botafogo foi inaugurada neste sábado, e logo com um clássico que teve bom jogo (Foto: Divulgação/Botafogo)

Felippe Rocha
17/07/2016
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

Muita gente temeu pela violência e pelos problemas de trânsito que poderiam ocorrer a partir da inauguração da Arena Botafogo. E, realmente, a volta dos torcedores para casa teve pontos de retenção, ainda na Ilha do Governador, e, longe dali, em Bento Ribeiro, torcedores do Glorioso e do Flamengo brigaram ao ponto de um deles acabar morrendo. Apesar desta tragédia e dos percalços no retorno, o saldo da nova casa alvinegra é positivo.

Para chegar ao local do jogo deste sábado, a equipe do LANCE! demorou 40 minutos, saindo da região central do Rio, de carro. Um tempo bem razoável, e houve lentidão apenas na Estrada do Galeão, já na chegada. Nas imediações da Arena, ruas bloqueadas dificultaram a vida de quem queria estacionar, mas facilitaram o trânsito de pedestres. O efetivo de 300 policiais deu conta de separar os torcedores rivais e conter os pequenos e poucos tumultos.

Alguns rubro-negros tentaram se camuflar na área social, destinada apenas aos botafoguenses. Eles quase foram agredidos por torcedores mandantes e, pelo menos quatro, foram retirados do local imediatamente.

Mas no âmbito esportivo, o que mais interessa, a Arena Botafogo está mais do que aprovada. A atmosfera de "caldeirão" do antigo Luso-Brasileiro, com a boa presença da torcida - que não lotou, é verdade, o estádio - ajudou a empurrar o Glorioso para os dois empates obtidos na inauguração.

Arquibancadas próximas ao gramado são, historicamente, benéficas ao time mandante, de um modo geral. O próprio torcedor botafoguense viveu muitas alegrias, e poucas tristezas, em Caio Martins e na mesma Arena Botafogo, em 2004 e 2005, quando o local levava o nome original e, depois, de Arena Petrobras, pela parceria com a petrolífera estatal.

O Botafogo, neste momento, luta para não voltar à Série B do Campeonato Brasileiro. O técnico Ricardo Gomes sonha com um lugar na parte de cima da tabela, ao final da competição. Para um objetivo mais alto ou para a missão básica, a casa do Glorioso na Ilha do Governador tem tudo para ajudar. Para tal, o apoio precisa ser contante como uma boa média de público.

Arremessar objetos no gramado, como neste domingo, podendo levar o clube a perder mandos, seria inaceitável. É jogar contra o patrimônio tão sonhado e aguardado por todos.