América MG x Botafogo

Sidão não teve culpa, mas precisou buscar uma bola em cada partida (Foto: Dudu Macedo/Fotoarena/Lancepress!)

Felippe Rocha
25/09/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

A realidade, às vezes, é dura. Freia os sonhos. Mas talvez Jair Ventura esteja correto diante da empolgação dos torcedores após a arrancada recente. Mas a semana em Minas Gerais deu um recado claro. As derrotas em Belo Horizonte dão choque de realidade à torcida do Botafogo.

Este choque se traduziu, contra o Cruzeiro, na inoperância da maioria dos reservas diante de uma boa oportunidade. Naturalmente, o time praticamente todo titular do Cruzeiro seria favorito para o jogo e o confronto já virtualmente resolvido. Todavia, esperava-se muito mais de quem barganha vaga de titular.

E dos titulares espera-se mais capacidade de incomodar o lanterna do campeonato do que os jogadores fizeram contra o América-MG, neste sábado. Por mais impressionante que seja a recuperação do Coelho e por mais que Camilo não estivesse bem fisicamente, é preciso mais repertório.

O recado é simples, então: o elenco não é tão bom para garantir a luta pela vaga na Taça Libertadores da América; e os titulares precisam colocar os pés no chão para conseguirem manter o nível que os colocou na primeira página da tabela de classificação.

Rebaixamento é algo que, a passos largos, a equipe caminha para não correr mais riscos matemáticos. De todo modo, a torcida fica decepcionado.