Gremio x Botafogo

O volante Somália era um nome importante no time do Botafogo em 2010 (foto: Ricardo Rimoli/Lancepress)

Felippe Rocha
10/12/2016
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

O dia mais importante do ano para o Botafogo é neste domingo: 11 de dezembro de 2016. Mas tudo o que o time não quer é que este dia, na última rodada do Campeonato Brasileiro, se pareça com a rodada derradeira da temporada 2010. Seis anos trás, no dia cinco de dezembro, contra o mesmo Grêmio e na mesma Porto Alegre (RS), o Glorioso precisava vencer para ir à Taça Libertadores. A derrota por 3 a 0 pôs fim ao sonho continental.

- Mais uma vez decidindo lá contra eles. Não fiz aquele jogo, fui convocado para a Seleção Sub-20 e o Joel Santana (então treinador), me liberou. Fiquei de coração partido pois não pude ajudar. Era a reta final, fiquei muito triste de longe. Espero que esse ano possa ser diferente. Respeitamos muito o time do Grêmio - ressaltou Jair Ventura.

O atual treinador do Glorioso era auxiliar do clube naquela época, e aquele duelo traz algumas coincidências com o de amanhã. O treinador do Tricolor, por exemplo, era o mesmo Renato Gaúcho, que rodou por alguns clubes, ficou um bom tempo desempregado e voltou para onde é ídolo. O camisa 10 do rival alvinegro é o mesmo Douglas, que também saiu e voltou. No Glorioso, Jefferson seria o principal jogador, mas, desta vez, está lesionado.

Para ir à próxima Libertadores sem precisar fazer contas, o Botafogo precisa vencer e para isso conta com a maioria de seus principais jogadores à disposição, como Carli, Camilo e Sassá. Para melhorar o cenário para o supersticioso torcedor alvinegro, em 2010, o Grêmio era rival na luta pelo então G4; desta vez, acaba de se garantir na Libertadores pelo título da Copa do Brasil, conquistado na última quarta-feira.

Semelhanças e diferenças que valerão até o apito inicial. Depois, 90 minutos e uma vaga em jogo.