Botafogo - Luis Henrique e Pimpão

Luis Henrique teve em Rodrigo Pimpão uma inspiração quase que inconsciente (foto:Paulo Sérgio/Lancepress!)

Felippe Rocha e Vinícius Perazzini
15/02/2016
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

O torcedor botafoguense mais atento deve ter notado. O gol de Luis Henrique contra o Resende - importante para a equipe, pela vitória, e para o jogador, pela afirmação neste início de ano - foi comemorado de uma maneira conhecida. Os braços abertos, o voo do avião, de um lado e de outro, e o soco no ar. O jovem centroavante remeteu a Rodrigo Pimpão, primeiro parceiro de ataque do atual camisa 9 do Glorioso.

- Foi algo na hora, na adrenalina do jogo mesmo. Tenho uma admiração grande pelo Pimpão, foi um cara que sempre me deu conselhos, sempre me ajudou. Depois do jogo, ainda lembrei que ele comemorava assim, mas realmente foi uma coisa que veio na minha cabeça na hora. Mas vale a influência dele, é um parceiro que tenho até hoje - explica Luis Henrique ao L!, sobre o ex-companheiro, com o qual fez o primeiro gol como profissional.

Em 3 de julho do ano passado, o Botafogo entrava no campo do Estádio Nilton Santos pela Série B do Campeonato Brasileiro. O adversário era o Sampaio Corrêa, e bastaram seis minutos para o estreante, aos 17 anos, balançar as redes naquela noite. E ainda viria outro gol naquele dia histórico para o jovem.

- Sempre estou acompanhando o Botafogo. Vi, sim, o gol que ele fez e a comemoração também. Senti saudades e, com essa comemoração dele, recordei de muitos momentos bons que vivi no clube - conta Pimpão, também com exclusividade ao L!. O atacante teve uma passagem breve, mas marcante pelo Glorioso. Foram 25 jogos, entre janeiro e julho de 2014, e nove gols. Importante no início daquela Segunda Divisão, ele recebeu proposta e se transferiu para o Emirates Club (EAU).

Os dois que também ele marcou contra a equipe maranhense foram os últimos pelo time de General Severiano. O período de parceira com Luis Henrique foi curto, mas rendeu amizade fora de campo que dura até os dias de hoje.

- Fiquei muito feliz em poder fazer parte desse início de carreira do Luis. Na estreia dele, dei assistência para o primeiro gol como profissional. Fiquei muito mais feliz com a alegria dele na comemoração, lembro dele vindo me abraçar. São recordações boas - confessa.

Rodrigo Pimpão tem, hoje, 28 anos, dez a mais do que o camisa 9 alvinegro terá no mês que vem. A carreira do ex-jogador do Glorioso teve altos e baixos, enquanto a promessa acaba de encerrar o primeiro grande jejum: três meses.