Fernandes, Sassá e Leandrinho

Base deve ganhar outros olhos com Jair Ventura no comando alvinegro (Foto: Montagem/LANCEPRESS!)

Vinícius Britto
19/08/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Experiência nas divisões de base, como técnico da equipe sub-20. Ou auxiliar da principal, em um elenco recheado de jovens. Jair Ventura entende os garotos revelados na base de General Severiano. Até por ser mais novo do que muitos técnicos medalhões - 37 anos - o novo comandante alvinegro fala a língua e tem uma relação próxima com muitos dos jovens que ascendem aos profissionais do Botafogo. E esse olho cuidadoso para as pratas da casa alvinegra podem representar mudanças na equipe nas próximas semanas.

Para o jogo contra o Sport, em Juiz de Fora, é possível ver um pouco destas características. Sem Bruno Silva, Jair teria a opção de promover a estreia como titular de Dudu Cearense. Ou até mesmo a entrada de Rodrigo Pimpão, dando maior experiência e poder ofensivo ao time. Mas optou por Fernandes, jogador que conhece desde a época de Sub-20.

Na frente, Sassá ganhou a vaga que era do experiente Canales, que ainda não encontrou as redes com a camisa alvinegra. Após o gol da vitória contra o São Paulo, Sassá foi bastante elogiado por Jair - que chegou a lembrar o primeiro título dele na base, com gol do centroavante, e agora recupera sua posição no time titular com a entrada do novo técnico.

Na visão do grupo no decorrer da semana, as primeiras impressões sobre o novo trabalho são as melhores possíveis. É o que garante Sidão:

- Está sendo ótimo. O Jair é um excelente profissional, capacitado. Já conhece todo o grupo, já estava com a gente antes do Ricardo Gomes e tem facilitado bastante. Por ser um cara que está desde o início, conhece todo mundo. Fazia o trabalho de pré-jogo, de bola parada, e já conhecia todo mundo. Facilita para todo mundo - enalteceu Sidão na entrevista coletiva da última quinta-feira.

Os dois podem representar somente um começo na Era Jair Ventura. Com um elenco com jovens valores, aliado a um técnico acostumado e que gosta de valorizar as revelações do clube, a tendência é de que, cada vez mais, a garotada do Botafogo ganhe oportunidades para a sequência do ano.

Período que Jair Ventura comandou em 2015 serve como espelho
Para se entender melhor as oportunidades e a relação que Jair preserva com os garotos da base, é só olhar para o período entre a demissão de René Simões e o acerto com Ricardo Gomes, em julho do ano passado, quando ele foi interino do Botafogo na Série B e esteve sob comando do elenco.

Nos três jogos sob seu comando (Náutico, Bahia e Criciúma), oito jogadores formados pelo clube tiveram chances no decorrer dos jogos: Fernandes, Luis Henrique, Dierson, Gegê, Diego, Jean, Octávio e Sassá. Destes, os quatro primeiros foram titulares nos três jogos, com os outros tendo oportunidades no decorrer deles. Somente Jean e Octávio não são mais opções no elenco atual, estando emprestados respectivamente para Botafogo-PB e Tupi-MG.

Quem poderá ganhar mais chances:

Leandrinho
O meia tem treinado com o grupo nas duas últimas semanas - recuperado de lesão - e deve começar a entrar nos próximos jogos do Botafogo. É um meia de características particulares - difícil de se encontrar no elenco - e deve ser muito trabalhado por Jair Ventura nesta sequência da temporada.

Luis Henrique

O atacante, que vinha sendo preterido por Ricardo Gomes, pode ganhar um novo fôlego com o novo comandante, que utilizou ele como titular nos três jogos comandados por ele em 2015.

Dierson

Como a questão física sempre pesa em Airton, Dierson pode passar a ser a opção escolhida por Jair Ventura como primeiro nome do meio-campo. No ano passado, foi titular nos três jogos em que ele esteve sob comando.