Felippe Rocha
16/11/2016
21:30
Rio de Janeiro (RJ)

Os sete jogos de invencibilidade se transformaram em três sem saber o que é vencer. Três sem saber o que é fazer gol. O Botafogo tentou, pressionou, mas não conseguiu ultrapassar o goleiro Danilo, da Chapecoense, na noite desta quarta-feira. E a marcação também não esteve bem. O resultado? Derrota por 2 a 0, em plena Arena da Ilha. Deste modo, o Glorioso perde a gordura que tinha acumulado no G6, e segue com 55 pontos, na quinta posição. A Chape chegou a 49 no Campeonato Brasileiro.

O time da casa tomou a iniciativa no início. Aos 11 minutos, Neilton cruzou, mas Rodrigo Pimpão cabeceou fraco. Quatro minutos depois, a defesa da equipe catarinense bateu cabeça, o mesmo Neilton driblou o goleiro, mas, no chute, acertou Rodrigo Lindoso. Incrível!

Mas aos poucos os visitantes foram se acomodando. Aos 25, Dener, da esquerda, cruzou e Kempes desviou muito de leve, para fora. Pela direita foram três faltas seguidas. Na última, o cronômetro marcava 25 minutos quando Cléber Santana cruzou e o mesmo Kempes abriu o placar.


O Glorioso, então, voltou a pressionar. Camilo acertou a trave em cobrança de falta, aos 36. Aos 43, Carli se aventurou no ataque, tabelou e quase fez. O chute foi na rede, pelo lado de fora.

Na volta do intervalo, o Botafogo continuou a pressionar. Pimpão foi o primeiro a gerar perigo, em chute com um minuto; Neilton, aos 12, obrigou Danilo a fazer boa defesa; no minuto seguinte, o goleiro da Chape fez outra intervenção, em cabeceio de Camilo.

Só que de novo a Chapecoense não demorou a encaixar a marcação e voltou ao jogo. Aos 19 minutos, o contra-ataque foi letal. O Alvinegro estava exposto, após escanteio, e Sérgio Manoel saiu sozinho com Sidão para ampliar: 2 a 0.

Daí então virou um jogo de ataque contra defesa. Só o meio-campo de Camilo buscava o ataque, mas o camisa 10 acertou o travessão num chute forte, aos 34 minutos. Os postes pareciam de mal com o meia. E Nuñez, que entrou no segundo tempo, pelo lado direito, ainda tabelou e conseguiu grande jogada. O chute foi perigoso, mas para fora, com o desvio da marcação.

Ainda deu tempo de um chute do próprio Camilo, de esquerda, para fora, e outras tentativas, mais desanimadas. Mas o placar não mudou.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 0 X 2 CHAPECOENSE

Local: Arena Botafogo, no Rio de Janeiro (RJ)
Data-hora: 16/11/2016, às 19h30
Árbitro: Dewson Freitas da Silva (PA/Fifa)
Auxiliares: Márcio Correia Dias (PA) e Hélcio Araújo Neves (PA)
Renda/Público: R$ 194.850,00 / 9.372 pagantes (10.170 presentes)

Cartões amarelos: Airton, Victor Luís e Leandrinho (BOT) e Neto (CHA)
Cartão vermelho: Não houve.

GOLS: Kempes (32'/ºT), Sérgio Manoel (19'/2ºT)

BOTAFOGO: Sidão, Alemão, Carli, Emerson e Victor Luís; Airton e Rodrigo Lindoso (Leandrinho, 29'/2ºT); Rodrigo Pimpão (Vinícius Tanque, 37'/2ºT), Camilo e Diogo Barbosa (Nuñez, 20'/2ºT); Neilton - Técnico: Jair Ventura.

CHAPECOENSE: Danilo, Mateus Caramelo, Neto, William Thiago e Dener; Matheus Biteco, Sérgio Manoel e Cléber Santana (Arthur Maia, 37'/2ºT); Tiaguinho (Ailton Canela, 39'/2ºT), Kempes (Bruno Rangel, 31'/2ºT) e Lucas Gomes - Técnico: Caio Junior.