Acidente Chapecoense

O Botafogo hasteou a bandeira a meio mastro na sede de General Severiano esta manhã (Foto: Felippe Rocha)

Felippe Rocha
29/11/2016
10:43
Rio de Janeiro (RJ)

Os efeitos da tragédia com a Chapecoense, na madrugada desta terça-feira, tiveram ecos intensos no Botafogo. O treino desta manhã, em General Severiano, foi cancelado, o clube alvinegro decretou luto e a bandeira foi hasteada a meio mastro.

Os jogadores chegaram ao clube, fizeram trabalhos na academia e, em seguida, iriam ao campo. Contudo, o clima entre os jogadores era de muito abatimento. De modo que a comissão técnica e a diretoria optaram por cancelar a atividade. O grupo fez uma oração às vítimas antes de deixar o vestiário. 

Camilo e Bruno Silva eram dos mais abalados e já haviam sido liberados. A dupla jogou por dois anos na equipe catarinense, tinha dezenas de amigos entre as vítimas, e se mostrava sem condições psicológicas. O meia, inclusive, foi cobiçado pela Chape para retornar, antes de acertar com o Botafogo.

- Eu poderia estar lá - Bruno chegou a dizer na chegada ao clube.