Jair Ventura - Botafogo x Cruzeiro

Celso Pupo/Fotoarena/Lancepress

LANCE!
19/09/2016
18:17
Rio de Janeiro(RJ)

O Botafogo de Jair Ventura se tornou uma sensação no Campeonato Brasileiros nas últimas rodadas. No segundo turno, o alvinegro divide a vice-liderança com o Palmeiras, ambos com 15 pontos.  Somando as 26 rodadas o Bota é o nono, com 38 pontos.

O discurso de Jair Ventura, porém, é cauteloso e prega nos pés no chão. Ele afirma que o mais importante no momento é somar os 46 pontos, o que de acordo com os matemáticos e com a história, salva o clube do rebaixamento. O que vier depois seria lucro. Portanto, faltam apenas oito pontos. Dá para sonhar com a Libertadores? Jornalistas do LANCE! analisaram a possibilidade. Confira! 

De acordo com o repórter Vinicius Britto, o maior empecilho para que o time carioca consiga a vaga é o elenco reduzido. 

 -Acredito que seja muito difícil uma vaga no G4. Até por isso, o discurso de Jair Ventura está corretíssimo. O foco de todos no clube, no começo do Brasileiro, era de alcançar os 46 pontos. E isso deve acontecer até o final do Brasileiro. A primeira meta será alcançada. Depois, o que vier será lucro. Até porque, o foco do comando atual do Botafogo é de melhorar as condições financeiras do clube, com o pagamento de dívidas e reestruturação. Em um ano que era esperado o sofrimento até o final, a pontuação atual surpreende. Mas sem devaneios. O elenco curto não deve permitir sonhar mais alto.

Outro repórter do LANCE!, Felippe Rocha, também-se mostrou um pouco cético em relação à vaga, mas lembrou: Sonhar não custa nada. 


 -Sonhar não custa nada. Mas o pensamento dele está correto. Neste mesmo Brasileiro o Botafogo deu provas de que quando parecia que subiria mais, não deu conta. Então,o melhor a escapar logo e depois começar a pensar em Libertadores. A vaga é difícil, porque a concorrência é dura na qualidade e na quantidade dos rivais acima na tabela. Porém, se mantiver o excelente desempenho recente, vai chegar nas últimas rodadas com chance.
Ainda há um detalhe importante: time como Chapecoense, Ponte Preta e Atlético-PR também são azarões na briga, mas vem mostrando consistência desde o início da competição. Com o declínio e troca de técnicos de Corinthians e Grêmio, estas equipes, antes tão perto do topo, podem não conseguir se sobrepor ao grupo de times tão bem treinados que almejam o G4 também.