Botafogo x Chapecoense

Brenner fez o primeiro gol da vitória alvinegra da noite de quarta-feira (DELMIRO JUNIOR/RAW IMAGE)

Felippe Rocha e Rafael Bortoloti
13/10/2017
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

O pior revés foi para o São Paulo. Oito gols sofridos nos últimos minutos. Mas a recente derrota para o Vitória, também no Nilton Santos, fez o Botafogo voltar a lamentar os acréscimos do segundo tempo. Só que as coisas mudaram na última quarta-feira. Aos 50 minutos da etapa derradeira, o gol de Vinícius Tanque mostrou que o Glorioso também sabe vencer no finzinho.

- O futebol é assim. Ganhamos muitos jogos no ano passado nos acréscimos. Agora, vínhamos sofrendo esses gols no fim. A maré virou. Mas o importante foi a vitória. Sabemos das dificuldades do brasileiro. Cada jogo, cada vitória tem que ser valorizada - celebra Jair Ventura.

Verdade seja dita, o Botafogo já havia vencido o Bahia, fora de casa, com um gol aos 47 do do segundo tempo. Nesta quarta-feira, além de se confirmar novamente eficiente nos minutos finais, o Botafogo também espantou a desconfiança pelo baixo desempenho contra os times da parte de baixo da tabela de classificação. Além de Vitória e São Paulo, Atlético-GO, Coritiba e Ponte Preta foram outras equipes que tiraram pontos do Glorioso.

- O Botafogo não é esse Robin Wood que falam. Conseguimos vencer vários jogos em casa. Mas quando a gente não vence fica mais evidente. É só olhar os números, que são muito mais a favor do que contra - analisa Jair.