Camilo - Botafogo

Em 24 jogos, Camilo participou de 12 gols: foram seis tentos e seis assistências (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Felippe Rocha e Vinícius Britto
29/10/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Estreia contra o Internacional, no dia 26 de junho. Depois, 22 rodadas seguidas sendo titular em todos os jogos. Camilo não teve descanso nessa arrancada do Botafogo até o G6 do Brasileirão. Até por isso, depois de um começo de encher os olhos, o meia acabou mais discreto nos últimos triunfos do Glorioso. Agora, depois de descansar após dez dias sem jogos no calendário, a expectativa é de que ele volte a velha forma neste sábado, às 18h30, contra o Coritiba, na Arena da Ilha do Governador. O site do LANCE! transmite o jogo em tempo real.

Referência técnica do meio-campo alvinegro, a importância de Camilo para a reviravolta do Botafogo é inquestionável. Seja com gol ou assistências – tem seis de cada – o camisa 10 ganhou os holofotes e o protagonismo no time de Jair. Até por isso, a queda de rendimento por conta do desgaste foi visível. Por isso, a semana sem jogos foi valorizada pelo jogador em entrevista coletiva.

– Nas últimas duas partidas, eu senti esse desgaste. Eu, particularmente, acho que não fiquei nenhuma partida de fora no Brasileiro. A gente sente o peso, isso é normal. Foi muito bom para repormos as energias. Esperamos jogar tudo, mais solto e mais inteiro para que possamos sair com a vitória – disse ele.

Mesmo desgastado, o meia segue importante na sequência de cinco vitórias seguidas. Contra o Atlético-MG, no triunfo por 3 a 2,  ele deu a assistência para Dudu Cearense marca de cabeça nos minutos finais. Mais do que isso, sua inteligência tática e recomposição defensiva é valorizada por Jair Ventura.

– É difícil você manter um nível de atuação alto. O Camilo é um jogador dinâmico, mesmo quando não faz gols e é decisivo, a gente olha no GPS depois e vê que ele correu bastante, ajuda a marcar – diz o comandante alvinegro.

Até porque, essa movimentação se faz cada vez mais necessária. Depois de golaços e atuações decisivas, Camilo está muito visado pela marcação. O próprio camisa 10 admite a forte marcação individual e revela os truques para ser participativo mesmo diante da forte pressão do time adversário nele:

– A marcação está mais próxima. Tem jogos que praticamente tem um jogador na minha caça para que eu não possa criar tanto. Tento desempenhar o papel coletivo, na parte tática, ajudar na bola parada. Isso tem sido importante quando tem marcação individual – completa o autor de seis gols no Brasileiro.

Agora 100% e sabendo os atalhos para fugir da forte marcação individual, o Alvinegro conta com o Camilo decisivo do começo do campeonato para se aproximar da Libertadores e fazer a festa da torcida na Arena neste sábado.

O principal nome da arrancada alvinegra?

Seria Camilo o grande responsável pela revolução alvinegra no Brasileirão? O meia prefere dividir os méritos com todos jogadores do elenco.

– Fruto do trabalho de todos no Botafogo. Cheguei para somar. Já alcançamos uma boa pontuação, não temos mais risco, mas podemos lutar por algo maior. Feliz por ter desempenhado meu papel. Espero que cheguemos à Libertadores.

Jair Ventura concorda com a visão do camisa 10 sobre o jogo coletivo do time:

– A gente está em um esporte coletivo, você atribuir ou definir todo bom momento por uma pessoa é meio de mais. Busco sempre o coletivo aqui. Ele foi importante como todos. Uma andorinha só não faz verão - completa Jair.