Emerson (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Imponente em campo, Emerson vem perdendo a timidez, fora dele, aos poucos (Vitor SIlva/SSPress/Botafogo)

Felippe Rocha
17/03/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

O Vasco foi a primeira vítima, em finalização que o goleiro Martin Silva nem tentou pular. Contra o Fluminense, no último domingo, o travessão foi atingido, causando eco por todo o Raulino de Oliveira. Por isso o apelido chega a ser inevitável. "Canhão de General", Emerson vem chamando atenção, neste Campeonato Carioca, pelas boas atuações e pelo potente chute com o pé direito. O crescimento do defensor é nítido e até o goleiro Jefferson já prevê uma possível convocação no horizonte.

- O Emerson vem crescendo gradativamente. Tem experiência desde o ano passado no grupo. Contratados perderam posição desde então. Ele é diferenciado. Se continuar nesse nível, é de Seleção Brasileira - avisa.

Talvez seja cedo para quem tem apenas 20 anos e 12 jogos como profissional pensar na camisa amarela profissionalmente. Mas e na Olimpíada deste ano? Ele alimenta este sonho.

- Quem sabe? Vou continuar trabalhando. Se o professor achar que mereço essa oportunidade, vou ficar muito feliz. Todo jogador sonha com esse momento e eu também tenho o sonho, mas vou continuar trabalhando. Se Deus quiser, as coisas vão acontecer no tempo certo - acredita.

A concorrência é difícil. Na última convocação para a Seleção Sub-23, Doria (Granada-ESP), Rodrigo Ely (Milan-ITA), Wallace (Monaco-FRA) e Rodrigo Caio (São Paulo) foram chamados. Marquinhos (PSG-FRA) tem idade olímpica e devem estar nos planos de Dunga. Só 18 atletas podem compor o elenco no torneio que começa em agosto.

Outros nomes podem estar à frente de Emerson, mas se a evolução do alvinegro se mantiver, o sonho poderá se tornar realidade. Resta esperar.