Forlan - Peñarol

Diego Forlán  (Foto: Miguel Rojo / AFP)

RADAR/LANCE! 
12/07/2016
15:26
São Paulo (SP)

O Atlético-PR confirmou ter feito uma proposta por Diego Forlán. Aos 37 anos, o atacante do Peñarol ficou de dar uma resposta à diretoria do Furacão. No entanto, para os especialistas do LANCE!, a contratação do uruguaio não é entendida como um grande negócio para o clube paranaense. Confira!

CARLOS ALBERTO VIEIRA - Editor e colunista do LANCE!

"Tata-se de uma situação complicada. Forlán acabou de viver uma situação que lembra um pouco o Petkovic quando retornou ao Flamengo. Fim de carreira, ninguém dava nada por ele e levou juntamente com Adriano Imperador, o Rubro-Negro ao título Brasileiro de 2009. Forlán foi para o Peñarol depois de uma série de passagens apegadíssimas por vários clubes incluindo o Internacional.

Do alto de seus 37 anos acabou fazendo uma ótima temporada com direito a título e um bom número de gols. Mas é muito arriscado que ele possa seguir neste canto de cisnes. Talvez fique na situação do Pet, que depois do ano de ouro de 2009, se arrastou em 2010 e encerrou a carreira. Não o contrataria."

EDUARDO TIRONI - Colunista do LANCE!

"Não acho que seja uma boa contratação neste momento. O jogador está no fim de sua carreira, suas últimas temporadas não foram boas e não entendo como uma aposta boa, pelo contrário. Acho bem arriscada."

DANIEL PIVA - Rádio Transamérica (Curitiba)

"Embora Diego Forlán tenha obtido bons números na temporada (34 jogos disputados, com oito gols marcados e 11 assistências), ele seria mais um caso em que o Atlético-PR apostaria na sua estrutura para recuperar um atleta. O de maior sucesso envolveu Washington, em 2004, quando o 'Coração Valente' marcou 34 gols. E o mais conhecido que deu errado foi em 2014, quando Adriano Imperador desembarcou na Arena da Baixada.

A maior desconfiança em cima do uruguaio é pela idade avançada (37 anos), principalmente levando em conta a maratona de jogos do calendário brasileiro. Ele já sofreu muito com isso quando defendeu o Internacional nas temporadas 2013 e 2014 e agora não acredito que seria diferente. Apesar dele estar atuando em um setor que o Atlético-PR precisa de reforços (atacante que vem de trás, tanto pelos lados quanto pelo meio), aposto que a negociação faria mais sucesso pelo lado midiático do que pelo aspecto esportivo."