Luan, do Atlético-MG

Abalado com tragédia da Chapecoense, jogador falou em respeito ao momento (Foto: Bruno Cantini/Atlético MG)

RADAR/LANCE
03/12/2016
14:50
Belo Horizonte (MG)

Acostumado a usar o bom humor e demonstrar alto astral em suas entrevistas, o atacante Luan adotou uma postura diferente no Atlético-MG. O jogador falou pela primeira vez após o desastre aéreo que matou 71 pessoas na Colômbia, na madrugada da última terça-feira. Abalado, o 'Menino Maluquinho' do Galo comentou sobre a falta de clima para treinar e jogar futebol no restante deste ano. Questionado sobre a final da Copa do Brasil, contra o Grêmio, Luan afirmou que dará o seu melhor, mas admitiu que não pretende comemorar em caso de título.

- Creio que vai haver respeito das duas partes. Quando chega dentro de campo, sabendo da responsabilidade que temos e vestindo as cores do clube, vamos entrar para vencer. Mas tem esse gostinho ruim, não tem como negar a tragédia, cada um vai dar seu melhor, mas quem vencer, acho que tem que respeitar. Se o Atlético for campeão, não quero nem comemorar, só ir para o vestiário. Nesta semana, eu chorei bastante. Sentimos na pele, somos profissionais e também passamos por isso de pegar voo e ficar longe da família sem saber se vamos voltar - falou.

Para sair de Porto Alegre campeão, o Atlético precisa vencer o Grêmio por três gols de diferença. Um triunfo por dois gols levará a decisão para os pênaltis.

- Por que não (acreditar)? O Atlético é um time de superação. Vamos jogar para vencer, independente da vantagem do Grêmio. Vou deixar minha vida ali, dar tudo de mim para o time sair vitorioso e sair com o título. Se não vier, temos que agradecer a Deus por tudo, o mais importante é a nossa vida, não são os títulos - acrescentou Luan.