São Paulo - Apresentação Lucas Pratto

'Não restou outra alternativa', disse Nestor Hein, sobre ação (Foto: Maurício Rummens / Agência Lancepress!)

RADAR / LANCE!
14/02/2017
16:06
Porto Alegre (RS)

A transferência de Pratto para o São Paulo pode ser indigesta ao Atlético-MG na Justiça. Segundo informações do "Zero Hora", a quantia de R$ 10,5 milhões que o Galo receberia do clube do Morumbi foi bloqueado pelo TJ-RS, devido a uma ação judicial movida pelo Grêmio. O Tricolor gaúcho cobra o pagamento referente à ida de Victor para a Cidade do Galo, em 2012, e a quantia terá de ser depositada pelo São Paulo ao órgão enquanto o impasse não for resolvido.

O diretor jurídico gremista, Nestor Hein, disse que a demora do Atlético-MG em quitar a dívida causa estranhamento à diretoria, e a medida judicial acabou sendo a única atitude a tomar:

- O Grêmio tem boas relações, mas o Atlético se nega a pagar. O Grêmio se dispôs a parcelar, e eles se negam a pagar o Grêmio. Não restou outra alternativa senão tomar essa medida, mas é necessário que o São Paulo seja notificado.

Diretor judídico do Galo, Lásaro Cândido da Cunha nega que recebeu notificação, mas garante que vai pedir recurso, devido à ida de Werley para o Grêmio na época:

- O Atlético não foi notificado. É estranho que há uma impugnação feita pelo Atlético, que tem que haver uma compensação em relação ao Werley. Então esse bloqueio, se de fato foi determinado, o Atlético vai interpor recurso e esperamos que seja acolhido.

Para contar com Victor, o Atlético-MG desembolsou 3 milhões de euros (R$ 7,6 milhões) e destinou ao Grêmio 50% dos direitos econômicos do zagueiro Werley em 2012. Aos olhos de Nestor Hein, a dívida atleticana, com correção monetária, já superou os R$ 10 milhões.

No despacho do juiz Mauro Caum Gonçalves, do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, é acatada a ação do Grêmio: “Acolho as razões expendidas pelo exequente (…), em especial a de que o imóvel oferecido à penhora pelo devedor possui restrições anteriores, mandadas anotar pela Fazenda Nacional, o que retira a atratividade sobre o imóvel indicado e rejeito a mencionada nomeação de bens.”

Em seguida, o juiz defere que o São Paulo seja notificado da alteração: "transfira eventual crédito deste, até o montante de R$ 10.508.626,19”.

O Atlético-MG vendeu 50% dos direitos econômicos de Pratto ao São Paulo por 6,2 milhões de euros (R$ 20,6 milhões).